Menu
Busca sábado, 21 de setembro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
38ºmax
23ºmin
ToledoFibra

Força do Povo acusa Jaime Câmara de expor interesses financeiros usando IBOPE para confundir o eleitor

01 outubro 2010 - 13h14

Em nota à imprensa, a coligação "Força do Povo", questiona a credibilidade dos veículos de comunicação das Organizações Jaime Câmara (OJC) e do próprio Instituto de pesquisas IBOPE, relembrando erros que aconteceram no decorrer das últimas eleições.

A assessoria também afirmou que a veiculação das denúncias que supostamente envolviam o governador e candidato à reeleição Carlos Gaguim (PSDB) e os resultados da última pesquisa IBOPE encomendada pela TV Anhanguera noticiada em seus meios de comunicação, eram refeflexo da parcialidade da Organização e ainda de acordo com a nota, a diretora-geral da OJC no Tocantins, Fátima Roriz, nunca escondeu sua ligação e afinidade com Siqueira Campos (PSDB).



Confira a nota na íntegra

A três dias das eleições de outubro, quando mais de 900 mil eleitores tocantinenses irão às urnas para escolher seus novos representantes, a TV Anhanguera divulgou a quarta rodada IBOPE, na noite desta quarta-feira, 29, com uma discrepância nos números que levantou questionamentos no meio político e, principalmente, no meio do eleitorado quanto à veracidade dos números.

Liderando as pesquisas desde o início do período eleitoral, o governador e candidato à reeleição, Carlos Gaguim (PMDB), de uma hora para outra é “ultrapassado, a toque de mágica” em 11 pontos pelo seu oponente, o que levantou sérias suspeitas sobre a credibilidade do IBOPE e a emissora que divulgou a pesquisa. O resultado IBOPE da TV Anhanguera é diferente de todos os levantamentos já feitos até agora no Estado, e remonta a velhos erros do instituto, que mais uma vez aparece agora sob o manto da “credibilidade” das Organizações Jaime Câmara.



JTO suspende SERPES

Além do IBOPE, que tem sido proibido de divulgar pesquisas eleitorais em diversos Estados no País, o Jornal do Tocantins suspende a divulgação de levantamento SERPES, que seria divulgado nesta quinta-feira, 30. Detalhe: a pesquisa, mais uma vez, mostra Carlos Gaguim na frente.

O IBOPE responde a processo em 10 Estados do Norte e Nordeste do Brasil, acusado de vender resultados de pesquisas. Fontes afirmam que a pesquisa da Anhanguera desta quarta foi comprada. Os compradores seriam a senadora Kátia Abreu (DEM), coordenadora geral da campanha de Siqueira Campos (PSDB); o ex-senador Eduardo Siqueira Campos (filho de Siqueira); e João Maurício, publicitário da campanha do tucano e, coincidentemente, filho da diretora-geral da OJC no Tocantins, Fátima Roriz, que nunca escondeu sua ligação e afinidade com Siqueira. A compra por cada ponto da pesquisa fraudulenta teria sido feita no Rio de Janeiro, sede do IBOPE.



Velhos erros

O eleitor tocantinense ainda não esqueceu das manobras da Jaime Câmara. Em setembro de 2006, o IBOPE dava a Siqueira uma liderança ao Governo do Estado de 13 pontos à frente do seu adversário, naquela ocasião Marcelo Miranda. O povo escolheu Marcelo, que foi reeleito. Essa história também se repetia em vários Estados, tanto que o Instituto, em nota, teve que reconhecer os seus erros.

Esses e outros erros atingem de frente a credibilidade da TV Anhanguera e também o Jornal do Tocantins, tanto que a TV foi advertida pela direção do grupo em Goiânia, que exigiu pedido de desculpas aos eleitores e ao candidato Gaguim, por a emissora veicular notícias mentirosas e sem qualquer apuração jornalística, no intuito de desequilibrar o pleito, favorecendo o candidato Siqueira Campos.

O próprio programa do candidato Siqueira Campos pedia aos eleitores para que não acreditassem em pesquisas. A única pesquisa que Siqueira defendeu até o momento foi a Vox Populi, que inclusive teve sua credibilidade questionada pelo próprio presidente nacional do PSDB, partido dele, quando disse em julho deste ano ao Portal Terra, que levantamento Vox Populi não é pesquisa, e sim “propaganda eleitoral”. O eleitor deve ficar atento, pois “um golpe contra a democracia está em curso”, como já alertou um conceituado colunista político no Tocantins. (Da assessoria de imprensa)

Ao Vivo