Menu
Busca terça, 02 de junho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
32ºmax
21ºmin
SENADO FEDERAL

PR acata sugestão de Vicentinho e deixa bloco de apoio ao governo

03 agosto 2011 - 10h22

Durante pronunciamento do ex-ministro Alfredo Nascimento no plenário do Senado Federal, ontem (02/08), o Senador Vicentinho Alves deu o tom do posicionamento seguido pelo Partido da República na questão de o PR continuar na composição do bloco que o partido mantém com o PT na Casa.

Em seu pronunciamento, Vicentinho sugeriu aos Senadores do PR a saída da composição do bloco com o PT e o convocamento para que o partido "caminhe" com suas próprias forças. O senador ainda ressaltou que "quem tiver ainda cargo que entregue (o cargo) à Presidenta Dilma, e que ela faça bom uso do Ministério dos Transportes." Para Vicentinho Alves, o PR não pode ficar "a reboque".

Mesmo com a saída do bloco de apoio ao Governo no Senado, Vicentinho sugeriu ao PR a manutenção do apoio à Presidente Dilma.


Abaixo, transcrição completa do aparte realizado pelo Senador Vicentinho:


Senador Alfredo,


Talvez, entre os sete, seis Senadores do nosso partido, o PR, tenha sido eu o que menos conviveu com V. Exª diretamente, mas foi suficiente o meu convívio, quero dizer, com V. Exª, o pouco convívio que eu tive é suficiente para dizer que confio e acredito em V. Exª. Um homem correto, um político honrado, de uma história bonita no Amazonas e no País, com uma folha de serviços prestados ao nosso País fantástica.

Olhem a Belém–Brasília, no meu Estado, Tocantins, como era: era só buraco! Hoje, a Belém–Brasília, BR-153, é uma maravilha, Ministro. Quero dizer que eu tenho muito prazer e muita honra de ser seu companheiro. E quem está dizendo isto aqui, graças a Deus, é um político com mais de 20 anos de vida pública e sem nenhum processo na minha vida. Fui Prefeito da minha cidade, fui Deputado Estadual, Presidente de Assembleia, Governador interino, Deputado Federal e sou Senador da República.

Agora, quero também aderir, Sr. Presidente do nosso partido, à sugestão do Líder Magno Malta, como também à sugestão do Senador Blairo de que o nosso partido, com os sete Senadores, saia dessa composição do bloco com o PT, e vamos caminhar com as nossas próprias pernas, com as nossas próprias forças. E, com relação à participação no Governo, quem tiver ainda cargo que entregue o cargo à Presidenta Dilma, e que ela faça bom uso do Ministério dos Transportes.

Não dá para a gente ficar a reboque, como, no meu caso, que faço parte, com muito prazer, do Partido da República. E eu não quero passar recibo. Sugiro a V. Exª, como meu líder, como presidente do nosso Partido, que saiamos do bloco, que entreguemos os cargos, quem tiver ainda cargo à Presidenta Dilma. O regime é presidencialista, ela fará bom uso do Ministério dos Transportes.

E, na medida em que o Partido caminhar aqui e que as coisas forem boas para o País, nós vamos apoiá-la, naturalmente, como a apoiamos na campanha eleitoral. Lembro-me muito do primeiro encontro dela com o Partido da República, conduzido por V. Exª. V. Exª, com tanta credibilidade e amizade no Partido, conduziu bem esse processo.

Hoje, somos 40 Deputados Federais, sete Senadores da República. É um Partido que pesa aqui no Congresso Nacional, e nós não podemos estar sendo tratados de forma diferenciada. Eu vejo notícias piores com relação a outros Partidos, e o tratamento é desigual.

O que está havendo com o Partido da República?

Agora, a mídia nacional traz denúncias relacionadas também a outros Partidos, como foi aqui colocado pelo Senador Blairo Maggi. Portanto, eu sugiro, como Presidente do meu Partido, que caminhemos sozinhos, com a nossa musculatura, com as nossas articulações e com as nossas pernas. Fico feliz de V. Exª vir aqui com altivez, certo de um dever cumprido.

Lembro-me muito, ainda num passado recente, do Ministro Alcenir Guerra, que foi execrado àquela época pela mídia nacional e pelo Congresso Nacional e voltou pelas mãos da justiça. É um homem honrado. V. Exª tem condição de fazer tudo isso, porque eu acredito em V. Exª.

Seja bem-vindo, meu caro Presidente (Alfredo Nascimento).

AO VIVO