Menu
Busca segunda, 13 de julho de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
35ºmax
20ºmin

Frente Palamentar discute piso salarial de médicos e dentistas

07 novembro 2011 - 16h30

O Deputado Lázaro Botelho (PP-TO) participará nessa terça-feira, 8, de reunião da Frente Parlamentar em Defesa dos Profissionais de Saúde, que tratará de importantes temas de interesse da classe, entre eles o Piso Salarial Nacional para Médicos e Dentistas, e a redução da jornada de trabalho dos enfermeiros de 40h para 30h semanais.

Atualmente, eles cumprem um horário que chega a 44 horas semanais. Representantes da categoria estiveram em Brasília buscando o apoio de líderes partidários para levar a votação para plenário. Uma demanda antiga da categoria que também foi discutida em um seminário na Câmara.

Lázaro Botelho apoia a categoria e falou sobre a situação dos profissionais da saúde citando as condições dos médicos na maioria das cidades brasileiras, “a aprovação da redução da carga horária de profissionais de enfermagem, do piso salarial único para os médicos e da Lei do Ato Médico traria impactos positivos para a saúde pública”. Essa é sua avaliação em defesa dos Profissionais da Saúde.

Lázaro Botelho informou que já solicitou a inclusão na pauta de votações do Plenário da proposta de redução de jornada dos enfermeiros, auxiliares, técnicos de enfermagem para 30 horas semanais (PL 2295/00). Ele argumentou que a carga horária estendida compromete o atendimento oferecido aos pacientes.

A redução da jornada é essencial para que as pessoas possam cuidar melhor dos pacientes. As auxiliares de enfermagem, por exemplo, trabalham em plantões de 12 horas e perdem a oportunidade de fazer reciclagens científicas para garantir a assistência adequada a quem precisa”, afirmou.

O parlamentar ressaltou que os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem representam 50% dos profissionais da área de saúde que atendem aos pacientes e reivindicam há mais de 10 anos a redução de carga horária.

Piso para médicos
Na avaliação de Lázaro Botelho, outra distorção no sistema de saúde - a falta de médicos no interior do País - poderia ser resolvida com a aprovação do piso salarial para a categoria (PL 3743/08). “São pagos salários irrisórios em partes do País. Por isso, há uma concentração de profissionais de saúde nas grandes capitais, o que resulta em dificuldades no atendimento aos pacientes em determinadas localidades.”

O Deputado pretende reforçar na reunião a importância da medida para a melhoria do atendimento à população. “Os profissionais são submetidos a uma grande carga de estresse por lidar diariamente com a vida de pessoas, bem como por trabalhar, na maioria das vezes, sem as devidas condições de oferecer um atendimento de qualidade aos usuários do sistema público de saúde devido a superlotação, precariedade nas instalações e falta de equipamentos” finalizou.

A reunião acontecerá nessa terça-feira,08 de novembro, na Câmara dos Deputados.(Ascom)

AO VIVO