Palmas
28º
Araguaína
28º
Gurupi
30º
Porto Nacional
29º
EDUCAÇÃO

Escolas indígenas de Tocantinópolis são pioneiras na criação de Grêmios Estudantis

25 agosto 2022 - 15h48Por Ascom

Pensando no protagonismo juvenil e na gestão participativa da comunidade escolar, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), tem incentivado a organização dos grêmios estudantis em toda a rede estadual de ensino. O objetivo é dar oportunidade e conhecimento ao formar jovens líderes estudantis, para que reivindicações sejam realizadas de forma adequada e eficaz.

Neste contexto, a Seduc tem realizado nas cidades-sede das 13 Diretorias Regionais de Educação, diferentes formações direcionadas aos grêmios estudantis, com temáticas como, Princípios da Educação em Direitos Humanos. Estes momentos formativos possibilitam aos integrantes o sentimento de confiança e de autonomia com responsabilidade e orientação educacional.

Um grande marco foi a criação dos grêmios estudantis indígenas. As escolas Mãtyk e Tekator de Tocantinópolis são as pioneiras a aderirem a esse movimento, ao incentivarem jovens indígenas a criarem um grêmio estudantil, proporcionando aos estudantes mais conhecimento sobre o processo educacional presente na unidade e dando voz aos membros do grêmio.

Para o articulador estadual dos grêmios estudantis da Seduc, Júlio César da Rocha, a implantação dos grêmios em escolas indígenas é importante para articulação da diversidade cultural e ampliação do protagonismo juvenil dentro e fora do ambiente escolar.

A presidente do Grêmio Estudantil da Escola Indígena Tekator, Maria Eduarda Dias Oliveira Apinajé, relatou sua satisfação em poder exercer essa função. “Com o lema, Força Jovem, irei representar meus colegas em busca de melhorias para todos nós”.

O jovem Jailson Sotero Apinajé, presidente do Grêmio Estudantil da Escola Indígena Mãtyk contou estar animado para representar os alunos. “Estamos animados, com certeza uma grande oportunidade para buscar melhorias para escola”.

Apesar dos desafios para articulação e instalação do primeiro grêmio estudantil, a orientadora educacional da Escola Indígena Mãtuk, Josilda da Cruz Vila Nova, contou estar confiante na atuação do grêmio. “Acredito que através do grêmio nossos alunos farão a diferença e conseguirão melhorias e mudanças importantes para as práticas escolares”, afirmou Josilda.

Implantação de Grêmios

No início de 2022, existiam cerca de 60 grêmios estudantis instituídos nas escolas estaduais do Tocantins. Depois de um intenso trabalho desenvolvido pela Seduc, a rede estadual de ensino conta agora com mais de 400 grêmios nas unidades escolares. No Tocantins, a Lei Estadual nº 763, de 26 de junho de 1995, regulamenta e dá legitimidade a essas organizações formadas pelos estudantes.