Palmas
25º
Araguaína
23º
Gurupi
24º
Porto Nacional
26º
"VEM CÁ, VOU TE CONTAR"

Projeto contemplado na Lei Paulo Gustavo leva contação de história para crianças, jovens e idosos

03 abril 2024 - 11h34

A arte da contação de história é uma das principais formas de comunicação do ser humano por ser capaz de transmitir oralmente não apenas lendas e contos, mas a cultura, os costumes e os hábitos de um povo. É a partir da oralidade que o projeto “Vem Cá, Vou te Contar”, da fazedora de cultura Leidiane Martins, contemplado pelo Governo do Tocantins no edital Artes Tocantins 2023, na categoria Linguagens Artísticas – Teatro, com R$ 15 mil, traz para crianças, jovens e idosos do município de Palmas a prática da contação, com o universo do teatro e outros elementos artísticos. 

SIGA o Portal O Norte nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram

Apresentação do projeto  Vem Cá, Vou te Contar ocorre na segunda-feira, 8, às 16 horas, no Parque Municipal da Pessoa Idosa Francisco Xavier, em Palmas. A história executada será “A Chegada de Lampião no Inferno”, apresentada pelas atrizes Magna Carneiro e Leidiane Martins. 

“O projeto surgiu de ideias coletivas das atrizes da Companhia A Barraca, que são em sua grande maioria arte-educadoras. É um trabalho que nós enquanto professoras já desenvolvíamos no nosso dia a dia em sala de aula com os mais variados públicos, como crianças, adolescentes e idosos. A proposta surgiu em ampliar o que já desenvolvemos, que é a arte de contar histórias, para fora do nosso campo de trabalho”, frisa Leidiane.

De acordo com a autora do projeto, a proposta é apresentar textos curtos que tratam de temáticas que despertam a autoestima do público, como sonhos, amor e superação, além de despertar a reflexão em relação às mazelas sociais. “É um projeto que permite que a cultura popular seja valorizada e se mantenha na atualidade. Resgatar essa prática da contação de histórias é a principal motivação do projeto. Mais do que apenas levar entretenimento, pretendemos levar uma contribuição sociocultural com os espaços e públicos beneficiados”.

Além da contação de história, as atrizes organizam um momento de interação e intercâmbio cultural com o público, por meio de bate-papo, dinâmicas e brincadeiras. Esquetes também incluem interpretação em Língua Brasileira de Sinais (Libras) e audiodescrição, de forma a promover a acessibilidade na execução do projeto, contemplando pessoas com deficiência auditiva e visual. 

Cronograma

Iniciado no dia 26 de março, com uma apresentação cultural na Escola Estadual Santa Fé, localizada na região sul de Palmas, a proposta do projeto é atingir todas as regiões da Capital. 

Além de levar a arte da contação de história com teatro para jovens e idosos, o projeto visa a doação de livros em cada local de apresentação. “A intenção é despertar no público esse amor pela literatura. A gente conta a história, mas incentivamos que esse público possa também contar as histórias dele e despertar e ampliar essa prática. Queremos contribuir com um mundo melhor pela arte e literatura, levando esse despertar a pessoas que por muitas vezes não têm acesso ou que por diversos motivos não têm condições de ir até o local onde está sendo ofertado esse produto artístico”, ressalta Leidiane Martins.

Leidiane também explica que a importância de desenvolver um projeto como esse está em atingir todos os públicos, crianças, jovens e idosos, em situação de vulnerabilidade, utilizando a arte como uma ferramenta de socialização, proporcionando momentos de lazer, além de dar a oportunidade para que conheçam um pouco do que é produzido na cidade, promovendo a democratização da arte e da cultura. “Trabalhamos histórias diferentes, de acordo com a linguagem do público-alvo.  Para os idosos, que é nossa próxima apresentação, por exemplo, faremos o Cordel “A Chegada de Lampião no Inferno”, que é uma comédia e, além disso, vamos levar dinâmicas de interação da nossa equipe com esses idosos”. 

Conheça a artista contemplada

Formada em Pedagogia pela Universidade Federal do Tocantins, Leidiane Martins é pós-graduada em Ensino de Filosofia; professora efetiva da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e coordenadora pedagógica no Centro de Atendimento Especializado (Caee) Márcia Dias Costa Nunes, além de produtora cultural, arte-educadora e membro da Companhia A Barraca, desde 2005.

Ficha técnica do Projeto

Direção-Geral: Leidiane Martins

Produção Executiva: Cinthia Abreu

Atrizes e contadoras de histórias: Cinthia Abreu, Sheyla Virginio, Yara Virginio, Leidiane Martins, Iva de Oliveira, Magna Carneiro e Ana Kamylla Castaño.

Saiba mais sobre o projeto pelo Instagram oficial da Companhia A Barraca (@abarracacia) e pelo canal no Youtube A Barraca Cia de Artes