Palmas
29º
Araguaína
28º
Gurupi
30º
Porto Nacional
29º
EVENTO GASTRONÔMICO

Sebrae lança o Festival do Chambari em Paraíso do Tocantins

23 agosto 2022 - 11h46

Com 23 expositores apresentando pratos feitos à base do chambari, comida típica do Tocantins, o Sebrae, em parceria com a Prefeitura de Paraíso, realiza a V edição do Festival do Chambari, em Paraíso do Tocantins, cidade distante 60 km de Palmas.

O evento, lançado nesta segunda-feira, 22, na Serra do Estrondo, ocorrerá de 15 a 17 de setembro, no Parque das Águas, em Paraíso do Tocantins.
 
De acordo com a gerente do Sebrae, Sirlene Martins, o Festival do Chambari é uma consolidação do turismo gastronômico em Paraíso, tornando cada vez mais o prato referência da gastronomia da cidade e de toda região. “O Sebrae, através de suas atividades, trabalha nas capacitações e orientações técnicas das empresas, criando ambiente para a participação no evento que gera renda e movimenta a economia do município”, completa.
 
Durante o lançamento do Festival, o prefeito de Paraíso, Celso Morais, destacou a importância do Sebrae no evento e como iniciativas como esta fomentam o turismo da cidade. “Paraíso tem tudo que outras cidades de referência turísticas possuem e estamos trabalhando a estrutura da cidade para fazer do município rota turística do Estado e a parceria do Sebrae é essencial neste processo”.
 
Sheila Bovo, uma das expositoras, apresentará ao público durante o evento o “Escondidinho de Chambari”, uma iguaria criada para o festival. “O festival surgiu também para agregar valores e movimentar o comércio, por isso, é uma honra poder participar”.  

Neste ano, as categorias estão divididas nos seguintes segmentos: doces; pratos salgados à base de chambari; bebidas e lazer.
 
A primeira edição do Festival do Chambari ocorreu no ano de 2018, sendo muito bem avaliada pelos pequenos negócios participantes, como também pelos visitantes. Para o V Festival do Chambari, o número de expositores será ampliado para melhor atendimento dos visitantes.
 
Chambari

O chambari é uma adaptação tocantinense do “ossobuco” italiano, que significa, literalmente, osso furado. No Tocantins, o osso é cortado horizontalmente e cozido com pimenta e temperos.