Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
37ºmax
20ºmin
AÇÃO SOCIAL

Casa para moradores de rua será inaugurada ainda este mês

11 abril 2011 - 08h32

Alessandro Sachetti
Da redação


A prefeitura de Araguaína, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação, trabalham de forma acelerada para inaugurar a casa abrigo que atenderá os moradores de rua da cidade, a casa abrigo garantirá alimentação adequada, espaço para higiene pessoal e um teto para essas pessoas que passam suas noites pelas calçadas e praças araguaínenses.

Em entrevista exclusiva para o Portal O Norte, o Chefe da Divisão de Infância e Juventude, Adilson Bonfim, que também será o gestor da casa abrigo informou que o projeto está adiantado, faltam apenas alguns detalhes para fechamento do contrato.

A casa abrigo será instalada na rua 13 de maio, nº 409 no setor rodoviário e é fruto de uma parceria da Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação: “A casa irá funcionar de maneira integrada com a associação Divina Providência, esse pessoal já faz um trabalho há mais de três anos, levando alimentos, roupas e uma palavra amiga para os moradores de rua. A prefeitura através do Prefeito Félix Valuar entrou em contato com secretário Jota Patrocínio e pediu que a gente criasse um projeto para dar mais dignidade para essas pessoas. Essa é uma parceira pública e privada para que a gente legitime os trabalhos que a associação faz e para ressocializar essas pessoas antes de serem encaminhados para suas famílias” explica Adilson Bonfim.

Regimento Interno
O Chefe de Divisão da Infância e Juventude diz que o próximo passo é a criação do Regimento Interno e comenta: “É preciso uma estrutura de pessoal fixa, a casa vai funcionar, inicialmente, 24 horas por dia e nós vamos ter lá o acolhimento dessas pessoas. A associação vai estar junto com a gente, irá participar da administração. Essa semana, inclusive, devemos nos reunir para criarmos o regimento interno da casa, que é o que vai dar o norte para os moradores e para nossas ações dentro da casa”.

Equipe multidisciplinar
Ele explica que a casa contará com equipe profissional adequada e treinada para atender as necessidades das pessoas que serão acolhidas: “Contaremos com uma equipe multidisciplinar para trabalhar questões mais profundas, teremos um psicólogo, um assistente social e um terapeuta ocupacional para trabalharem questões sociais e psicológicas antes de enviar essas pessoas para suas casas”.

Adilson Bonfim diz que é preciso botar a casa para funcionar o quanto antes, haja visto que os resultados não são imediatos e que será preciso apresentar a casa e o trabalho desenvolvido para os moradores de rua, para que os mesmo venham a conhecer e participar das ações desenvolvidas pela equipe multidisciplinar e completa: “É preciso que descubramos a disponibilidade do morador em situação de rua para absorver esse conhecimento, para ter contato com os profissionais. É importante esse pontapé inicial para que saibamos como será a absorção pela sociedade, para fazer com que essas pessoas conheçam e queiram chegar até nós, que elas saibam o que fazemos, que elas podem chegar lá para se alimentarem, tomarem banho. É preciso deixar claro que essas pessoas não são obrigadas a fazer nada, estaremos de portas abertas para ajudá-los na ressocialização, mas para isso é preciso que eles venham. A equipe multidisciplinar aproveitará esse momento em que eles se encontrem na casa para depois planejar como funcionarão as oficinas que serão propostas de acordo com a necessidade”.

Ele também falou da importância da parceria com a Associação Divina Providência, pois, por já estarem nas ruas há 3 anos já tem contato e inserção maior no cotidiano dessas pessoas, exatamente por isso teria maior facilidade para apresentarem a casa à esses moradores de rua: “A associação Divina Providência tem papel fundamental na dinâmica da casa, como eles já têm esse contato com os moradores de rua e vão realizar trabalhos dentro da casa, cuidando da alimentação, fazendo orações, trazendo essas pessoas e participando de todo acolhimento” completou Adilson Bonfim.

Esmolas
Segundo o gestor da futura casa abrigo a maior dificuldade que a Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação encontra nos trabalhos voltados para os moradores de rua é culpa da população, que ajuda a manter essas pessoas nas ruas através das esmolas que ofertam, ele explica e faz um apelo: “Eu peço a vocês de Araguaína para não darem esmola, não darem alimentos, porque assim você ajuda essas pessoas a ficarem na rua. Não dê, se quer ajudar, não dê, procure-nos na secretaria e veja como você pode realmente ajudar.Uma das situações para ajudar é algo muito fácil de fazer, se você ver uma pessoa em situação de rua bebendo e tiver condição de falar com ela, não dizer para não beber, mas levar uma palavra amiga, levar um aconchego. Do contrário não dê, porque se você der dinheiro ele vai beber e não, porque a bebida ele compra um litro de cachaça e tem ela vários dias, a comida ela come e acabou. E existe também a situação do tráfico de drogas, essas pessoas tem boa índole, mas a situação de vulnerabilidade que eles vivem permite que eles tenham acesso a todos os tipos de drogas, ou seja, quando você não dá esmola, você está ajudando”.

Adilson Bonfim não deu prazo certo para o início do funcionamento da casa abrigo, mas a expectativa é que a que comece a funcionar ainda este mês, após o fechamento do contrato será feito um treinamento com a equipe da prefeitura e da associação parceira que trabalhará de maneira voluntária.

AO VIVO