Palmas
31º
Araguaína
33º
Gurupi
31º
Porto Nacional
31º
ARAGUAÍNA

1º Seminário de Saúde Mental reúne mais de 800 pessoas em Araguaína

01 fevereiro 2024 - 09h44

Com o intuito de proporcionar um espaço de diálogo, informações e reflexão sobre os transtornos mentais relacionados ao trabalho, a Secretaria da Saúde de Araguaína e o Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) realizaram o Café com Empresários, no dia 29, e o 1º Seminário de Saúde Mental de Araguaína nos dias 30 e 31 de janeiro.

SIGA o Portal O Norte nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram
 
Os encontros, realizados na Escola de Tempo Integral Domingos da Cruz Machado, no Setor Nova Araguaína, reuniram mais de 800 participantes, entre profissionais da saúde que atuam em unidades notificadoras, como hospitais, serviços de urgência e emergência, ambulatórios, unidades básicas de saúde, além de estudantes e trabalhadores do comércio.
 
A secretária da Saúde, Ana Paula Abadia, considerou os eventos um marco, uma vez que cuidar da saúde mental impacta diretamente na qualidade de vida da pessoa, seja em casa ou no trabalho.
 
“Desde o início, a nossa gestão vem promovendo ações que evidenciam os cuidados com a saúde mental, prova disso é que oferecemos uma rede de apoio aos nossos servidores e atendimento especializado nas unidades de saúde para toda população”, pontuou Ana Paula.
 
Café com empresários
 
As atividades que encerraram a programação do Janeiro Branco começaram no dia 29, no evento Café com Empresários, que reuniu gestores e colaboradores do comércio de Araguaína para discutir os transtornos mentais que podem estar relacionados ao trabalho.
 
Presente no evento, o prefeito Wagner Rodrigues falou sobre a importância das ações que estão sendo realizadas e destacou a preocupação da gestão em cuidar da saúde mental dos servidores.
 
“O trabalhador precisa estar bem fisicamente e emocionalmente para poder exercer suas funções. Promover esse ambiente de trabalho favorável aos nossos servidores e prevenir adoecimentos tem sido nosso objetivo”, ressaltou.
 
É preciso respeitar as diferenças
 
Na terça-feira, 30, teve início o 1º Seminário de Saúde Mental de Araguaína, momento em que os participantes tiveram a oportunidade de acompanhar uma palestra com o psiquiatra Marcos de Noronha, que falou sobre os principais desafios da atualidade que envolvem saúde mental.
 
“Boa parte das doenças emocionais podem se manifestar pelo simples fato de pensarmos diferente, de não aceitarmos a opinião e escolha do outro. Tudo isso, por mais simples que seja, pode gerar um impacto gigantesco nas nossas vidas e afetar de forma negativa os ambientes que frequentamos. Para vencermos as adversidades, é preciso compreender melhor o outro e, principalmente, respeitar as diferenças”.
 
Oficina para fortalecer o fluxo de atendimentos
 
Na quarta-feira, 31, a equipe do Cerest da Bahia promoveu a oficina "Protocolo de Transtorno Mental Relacionado ao Trabalho às Referências Técnicas”, com estudos de casos reais. O encontro trouxe contou com a participação ativa do público, que pode expressar suas opiniões sobre como melhorar o fluxo de atendimento e direcionamento do paciente trabalhador.
 
Doenças que mais afetam os trabalhadores
 
Na palestra ministrada pela doutora em saúde mental e vice-presidente da Associação Brasileira de Estudos em Álcool e Drogas, Alessandra Mendes Calixto, a depressão e ansiedade foram apontadas como as doenças que mais afetam os profissionais da saúde.
 
“Apresentamos os índices elevados de trabalhadores da saúde que foram acometidos pelas doenças mentais, nos últimos cinco anos, com mais incidência após a pandemia da covid-19. Essa realidade nos traz o alerta de que é preciso prevenir e tratar a saúde do trabalhador para garantir que aquele profissional possa atuar de forma segura no atendimento à população”, disse.
 
Campanha Janeiro Branco
 
A mobilização realizada durante o mês contou com a participação do Cerest de Araguaína, da Escola Pública de Saúde de Araguaína, dos CAPS (Centros de Atenção Psicossocial), da equipe multidisciplinar da Atenção Básica, Vigilância Epidemiológica e HDT (Hospital de Doenças Tropicais).
 
Para a  coordenadora do Cerest de Araguaína, Lilalea Alves Farias, a realização de todas as atividades do Janeiro Branco, em especial o 1º Seminário de Saúde Mental, fortaleceu ainda mais a luta na atenção para as questões e necessidades relacionadas ao emocional dos trabalhadores.
 
“O bem-estar e a qualidade emocional são essenciais em todas as fases da vida, do nascer ao envelhecer. Foi com esse objetivo que conseguimos finalizar mais uma campanha Janeiro Branco e, com isso, fortalecer as estratégias para o cuidado da saúde mental e emocional dos trabalhadores”, finalizou.