Palmas
24º
Araguaína
24º
Gurupi
24º
Porto Nacional
26º
EM ARAGUAÍNA

Carros da Maxim são apreendidos e motoristas acusam prefeito de perseguição

02 fevereiro 2024 - 18h01Por Da Redação

Veículos de motoristas cadastrados no aplicativo de viagens e entregas, Maxim, foram apreendidos na manhã desta sexta-feira (02), por agentes da Agência de Segurança, Transporte e Trânsito de Araguaína (ASTT) e a ação repercutiu nas redes sociais e resultou ainda em uma mobilização no Parque Cimba. A prefeitura se manifestou sobre o caso. (Confira a nota na íntegra no final da matéria)

Imagens registradas no centro da cidade hoje, mostram dois veículos caracterizados como Maxim sendo rebocados pela ASTT. 

Em nota à imprensa a Maxim que opera há mais de um ano em Araguaína se manifestou sobre o ocorrido:

"Reiteramos que nossos motoristas não ficarão desamparados neste momento. Buscaremos recuperar o mais rápido possível os veículos que foram apreendidos e também pagaremos os valores das multas aplicadas na ocasião. Agradecemos pela confiança tanto dos motoristas da Maxim quanto da população de Araguaína, e reforçamos que podem contar conosco. Seguimos à disposição das autoridades legais caso seja necessário".

A Maxim afirma ainda que  pretende seguir com o funcionamento na cidade, "tendo em vista que a atividade está legalizada, pois serviços de transportes privados por aplicativo são permitidos pela Lei Federal 13.640/2018".

A Lei Municipal nº 3357, aprovada pela Câmara de Vereadores em dezembro de 2022, regulamentou o transporte privado e remunerado de passageiros intermediados pelas plataformas digitais na cidade. No entanto, a Maxim não realizou o cadastramento junto à ASTT.

O aplicativo questiona a referida Lei e afirma que já ingressou com uma ação judicial contra a exigência, pois possui alguns artigos inconstitucionais e que ultrapassam a competência legislatória do município. O julgamento desta ação ainda está pendente.

Vale destacar que o aplicativo Maxim opera em mais de 50 cidaades do Brasil desde 2021. Por meio do App, os usuários podem pedir viagens de carro, minivan ou moto, bem como entregas de moto, carro, bicicleta e à pé.

MOBILIZAÇÃO

Na tarde de hoje, motoristas que atuam por meio do app se reuniram no Parque Cimba para protestar contra a ação do município acusando a gestão de perseguição e cobrando liberdade para trabalhar: "Prefeito não quer deixar os pais de família trabalhar... isso é perseguição. Aqui são pais de família, não tem bandido não, são pessoas trabalhadoras atrás do ganha pão", comentou um dos manifestantes. 

O QUE DIZ A PREFEITURA

O Portal O Norte procurou a prefeitura de Araguaína que ecaminhou nota de esclarecimento sobre o caso: 

NOTA À IMPRENSA – Regularização do transporte remunerado de passageiros por aplicativos

A Prefeitura de Araguaína informa que os dois veículos de transporte remunerado de passageiros por aplicativo recolhidos na manhã desta sexta-feira, 2 de fevereiro, na região central da cidade, passaram pela fiscalização de rotina de patrulhamento volante da ASTT (Agência de Segurança, Trânsito e Transporte), ocasião em que foi constatada a não conformidade dos veículos com o Artigo 231, inciso VIII, do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), que dispõe sobre o transporte remunerado de passageiros sem a devida autorização para esse fim. 

A Lei Municipal 3357/2022 regulamenta o transporte de passageiros por aplicativo em Araguaína e está em conformidade com a Lei Federal 13.640/2018, que por sua vez regulamenta o transporte remunerado privado individual de passageiros por aplicativo em todo o território nacional.

Conforme dispõe a lei municipal, foi criado o Cadastro Municipal do Operador da Plataforma Tecnológica, que é gerido pela ASTT. Para operar na cidade, o serviço precisa ser inserido neste cadastro e, dentre as obrigações, o aplicativo deve possuir inscrição no cadastro de contribuintes municipal, apresentar certidão de regularidade fiscal, contratar seguro de acidentes pessoais a passageiros e recolher o ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza).

A legislação municipal também criou o Cadastro Municipal de Condutores do Transporte Privado Individual Remunerado de Passageiros, também sob responsabilidade da ASTT. Para fazer parte, as empresas de transporte de passageiros por aplicativo precisa fornecer uma relação dos motoristas acompanhada das documentações necessárias, como comprovar residência em Araguaína há pelo menos 60 dias, apresentar a Certidão Negativa Criminal, Cível Federal, Estadual e Militar, entre outras obrigações para garantir a segurança dos passageiros.

 

 

 

 

 

 manifestacao parque cimba motoristas do maxim 

trabalhadores 

terciliano gomes 

transporte publico 

maxim 

primeiro credenciamento junto ao municipio conforme legislacao federal 

se nao cumpri lei municipal e federal e criterio categoria b e certidao de antecendetes criminais e veiculo que cumpra exigencias se torna irregular 

desde que adote todos os criterios 

da forma que tá transportando nao tem o credenciamento correto 

nesta sexta varios carros de aplocativo foram rebocados pela agencia de seguranca transporte e tr4ansito de araguaina