Menu
Busca sábado, 19 de junho de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
20ºmin
BRASIL

Menina de 3 anos morre vítima de complicações da Covid após volta às aulas

11 junho 2021 - 10h25Por Meio Norte

Uma menina de apenas 3 anos, aluna da escola municipal Leonor Mendes de Barros, em Santos, no litoral de São Paulo, morreu  por complicações decorrentes da covid-19, após passar vários dias internada na UTI do Hospital Ana Costa. 

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv) denuncia que a menina pode ter contraído a doença na escola, por conta da retomada das aulas presenciais, que ocorreu no dia 3 de maio. Já a Secretaria de Educação do município (Seduc) informa que a criança contraiu a covid-19 dos pais, que teriam adoecido antes dela.

A mãe quer contar tudo o que aconteceu, mas que irá aguardar o luto para poder se manifestar. Segundo os familiares, ela ainda está em choque pelo que aconteceu e mal consegue falar. A diretoria da escola publicou ontem, em sua página no Facebook, um post de condolências pela morte da criança.

Diretoria da escola publicou em sua rede social condolências pela morte da criança. (Divulgação)

"É com imenso e profundo pesar que comunicamos o falecimento da nossa aluna, a pequena e querida Alice. Nos solidarizamos com seus pais por todo o período de internação da filha e nos manteremos à disposição para todo apoio, acolhimento e atenção necessários nesse momento tão triste. Nossa comunidade escolar mantém-se em orações e emana energias positivas a toda família", diz texto. 

Nas alegações do Sindserv, o retorno às aulas presenciais na rede de ensino de Santos teria feito sua primeira vítima entre os alunos, com a morte de Alice. Segundo informações obtidas pelo diretor do sindicato, Cássio Canhoto, a notificação de que a menina poderia estar com a covid-19 ocorreu no dia 12 de maio. 

"Soubemos da morte da aluna ontem à tarde, enquanto realizávamos um protesto em frente à prefeitura, justamente por conta da retomada irresponsável das aulas presenciais. Os profissionais de ensino não estão devidamente vacinados, apenas uma parte desses profissionais, os com mais de 47 anos, receberam a vacina. Mas a média de idade dos profissionais é de 38 anos", defendeu. 

Apesar disso, reclama o sindicalista, somente ontem o Governo do Estado anunciou a abertura de um cadastro para vacinação de todos os profissionais de saúde. "Acontece que durante o mês de maio inteiro crianças e profissionais de ensino se arriscaram comparecendo presencialmente às escolas. Só para ter uma ideia, já temos cinco desses profissionais mortos por conta da covid-19 em Santos. E, agora, infelizmente, a primeira aluna.".

A Secretaria de Educação de Santos (Seduc) lamentou a morte da aluna e acrescentou que a criança era autista e "tinha outras comorbidades".

AO VIVO