Palmas
25º
Araguaína
24º
Gurupi
25º
Porto Nacional
27º
SAÚDE PÚBLICA

HGP terá serviço de gastroenterologia e hepatologia para atendimentos ambulatoriais

29 julho 2022 - 14h30

A partir de primeiro de agosto o Hospital Geral de Palmas (HGP) contará com o serviço de gastroenterologia e hepatologia para interconsulta de pacientes e acompanhamento em conjunto com outras especialidades. O laboratório está sendo montado na unidade para os atendimentos ambulatoriais e resposta dos pareceres dos pacientes internados.

Segundo a coordenadora da equipe, a médica gastroenterologista Monick Piton Pereira, havia uma demanda reprimida de gastroenterologia e hepatologia dos pacientes internados no HGP. “Começamos a observar que muitos pacientes que recebiam alta, não tinham um retorno, uma continuidade nesse tratamento, ou mudança de medicação e diagnóstico. Então eram pacientes egressos que ficavam perdidos quando voltavam para os seus municípios ou estados vizinhos, e alguns deles, por deficiência desse acompanhamento, acabavam voltando para a internação com problemas recorrentes.”

Ela explica ainda que inicialmente o serviço será voltado para os pacientes egressos do HGP para dar continuidade ao seu tratamento, diagnóstico de alguma biópsia, condutas, troca de medicação e orientações.
 
Fazem parte da equipe cinco médicos gastroenterologista, sendo três médicas voltadas para a parte de hepatologia, que é uma subespecialidade da gastroenterologista dedicada ao tratamento dos problemas relacionados ao fígado, como as hepatites virais, hepatites causadas por medicamentos, hepatites autoimunes, hepatopatias causadas pelo álcool, esteatose hepática (fígado gorduroso), por exemplo. E os outros dois médicos para atendimento da demanda de gastro geral, que cuida das doenças do sistema digestório como ulcera gástrica ou duodenal, esofagites, refluxo intenso, hemorragia digestiva.

Segundo o diretor geral do HGP, Leonardo Toledo, o serviço vai oferecer um atendimento completo aos pacientes com doenças do aparelho digestivo. “Vimos à necessidade de cuidar do paciente como um todo, envolvendo uma equipe multidisciplinar, para que ele consiga dar continuidade ao tratamento sem precisar de uma nova internação.”