Palmas
25º
Araguaína
26º
Gurupi
25º
Porto Nacional
26º
TECNOLOGIA

Participantes da 1ª Game Jam iniciam maratona de criação de projetos de jogos digitais

24 junho 2022 - 09h43

Inovação e tecnologia são conceitos que fazem parte da vida contemporânea, sobretudo no ambiente educacional, onde deve haver espaço livre para o que é novo. Com o objetivo de direcionar este potencial criativo da juventude, a 1ª Game Jam de Educação Fiscal deu início nesta quinta-feira, 23, às oficinas de elaboração de protótipos gamificados. O evento acontece na sede da Escola de Educação Fazendária (Egefaz), em Palmas.

A primeira olimpíada de elaboração de jogos gamificados do Tocantins é fruto de uma parceria entre as Secretarias da Educação (Seduc), da Fazenda (Sefaz) e a Receita Federal do Brasil. O projeto tem como finalidade estimular a cultura digital entre os estudantes da rede estadual de ensino e, a partir da criação dos games, tornar os materiais didáticos sobre Educação Fiscal mais interativos e atrativos aos jovens e adolescentes.

Por meio de edital, a Game Jam selecionou 26 alunos do ensino médio de escolas estaduais do Tocantins para participarem da maratona criativa entre os dias 22 e 26 de junho. No primeiro dia, os estudantes prestigiaram a abertura oficial do evento, visitaram a sede da Receita Federal e o laboratório de eletrônica e robótica do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Desenvolvimento dos protótipos

A partir do segundo dia, as duplas de alunos iniciaram os desenvolvimentos dos projetos de games em forma de protótipos; cada equipe representa uma das 13 Diretorias Regionais de Educação (DREs) do Estado. O método e as estratégias de criação variam de acordo com a aptidão dos jovens, sendo que alguns optaram por escrever e rascunhar as suas ideias em textos ou desenhos, já outros estudantes preferiram utilizar recursos digitais, como softwares de planilhas ou de edição de imagens.

Representantes da DRE de Arraias, os alunos Vitória Divina Quintanilha, 17 anos, e Antônio Barbosa da Silva Neto, 16 anos, decidiram utilizar a linguagem e a estética da poesia de cordel para ambientar o seu projeto de game. Antônio Neto é artista visual e Vitória Quintanilha tem facilidade para criar e roteirizar histórias. O processo criativo dos adolescentes está adiantado e os rascunhos estão servindo para vislumbrar o produto final.

“Não temos tanta afinidade com a parte digital e tecnológica, então pensamos em trabalhar com o que sabemos. Eu fiquei com o roteiro do jogo e o meu parceiro com a arte”, disse Vitória Quintanilha. A aluna explicou que o cenário simula a gestão pública. Cada nível representa uma esfera, onde o ponto de partida é a prefeitura, passando pelo estado e, por fim, a presidência da república. O gestor é o protagonista e a medida em que vence os obstáculos, passa de fase e sobe de cargo. Os inimigos a serem derrotados são, principalmente, a pirataria digital e a sonegação fiscal.

A dupla Antônio Heverton Ferreira, 16 anos, e Ana Clara Alves da Silva, 15 anos, representantes da DRE de Araguatins, ambientou o seu game em uma cidade que passou por um fictício “desastre administrativo”, causado pelo prefeito anterior. O personagem principal do jogo é o atual gestor, que tem como desafio reestruturar as diversas áreas, principalmente a educacional. “O jogo tem caráter pedagógico e, por isso, a reestruturação das escolas e da educação do município serão os principais objetivos do jogo”, argumentou Antônio Ferreira.

Game Jam

O diretor de tecnologias educacionais da Seduc, Erick Henrique Silva Góes, coordena a parte criativa da 1ª Game Jam. Segundo o servidor, o propósito maior da maratona é transformar a temática e os conteúdos sobre Educação Fiscal - baseados em texto e manuais - na linguagem de game para que os alunos da educação básica possam se interessar e aprender sobre o assunto.

“O nosso foco na Game Jam é desenvolver os protótipos de jogos e, para isso, os alunos estão recebendo os feedbacks dos mentores pedagógicos e tecnológicos da Seduc”, disse, esclarecendo que após a apresentação dos projetos, os jurados escolherão os três melhores projetos desenvolvidos pelas respectivas duplas. Esses seis alunos serão contratados como estagiários pelo período de 1 ano pela Egefaz, no programa de Mentoria de Criação de Jogos de Educação Fiscal. Durante 12 meses, esses protótipos serão transformados em jogos a serem disponibilizados para o sistema Android em lojas virtuais de aplicativos gratuitos.

Os alunos premiados também receberão kits tecnológicos contendo smartphones, smartwatch, mala de viagem, fone de ouvido wi-fi, pen drive, mouse sem fio, carregador portátil de celular, impressora fotográfica portátil, caixa de música, mochila, medalha e certificado de participação. A dupla que vencer em primeiro lugar terá direito também a participar do evento tecnológico Brasil Game Show (BGS 2022), em São Paulo-SP, no mês de outubro, com todas as despesas pagas.

Para o secretário executivo da Seduc, Edinho Fernandes, a Game Jam está em total consonância com a meta da gestão de investir, significativamente, nos próximos anos na área tecnológica. “Este evento é um primeiro passo para experimentarmos novas parcerias com instituições renomadas em nível estadual e federal”, afirmou, adiantando que a intenção é utilizar projetos como este para tornar outros temas didaticamente atrativos aos estudantes da rede estadual de educação.