Palmas
32º
Araguaína
33º
Gurupi
34º
Porto Nacional
31º
NA CAPITAL

Procon encontra variação de até de 128,76% nos preços de carnes em açougues

18 janeiro 2024 - 18h23

O Procon Tocantins realizou nesta última quarta-feira, 17/1, uma pesquisa de preços em 10 açougues da Capital. Foram pesquisados 35 tipos de carnes, entre bovinas, suínas, frango, linguiças e peixes. A maior variação encontrada chega a 128,76% nos preços da coxa e a sobrecoxa de frango, vendida entre R$ 6,99 e R$ 15,99.

SIGA o Portal O Norte nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram

Esse trabalho é feito constantemente pelos nossos fiscais para garantir que o consumidor tenha a opção de economizar. Fica claro como é possível fazer economia quando pesquisamos os preços”, destaca Rafael Pereira Parente, superintendente do Procon Tocantins.

Variações

A segunda maior diferença de preço foi encontrada na linguiça suína, comercializada entre R$ 17,99 e R$ 39,90. A diferença no valor é de 121,79%. Já a terceira maior diferença foi de 119,48%, encontrada na linguiça mista, comercializada entre R$ 14,99 a R$ 32,90.

Nos cortes bovinas, a costela mindinha foi o item que apresentou maior variação de 50,03%, o menor preço encontrado foi R$ 17,99 e o maior R$ 26,99.

Entre os cortes de suíno, o pernil dianteiro e traseiro com osso foram os itens que apresentaram maior variação de 47,09%, o menor preço encontrado foi R$ 16,99 e o maior R$ 24,99.

Entre os pescados, o quilo do tambaqui foi o que apresentou maior variação de 38,91%, vendido entre R$ 17,99 e R$ 24,99. 

O objetivo dessa pesquisa é identificar as diferenças nos preços das carnes em cada estabelecimento comercial. Através do levantamento realizado, o consumidor tem possibilidade de fazer a escolha de forma mais consciente, de maneira que se adeque ao seu orçamento.

“Durante a pesquisa não foi levado em consideração quais os frigoríficos que originaram as carnes e vale ressaltar que não existe tabelamento nos preços. Inclusive, pode acontecer de haver diferença no valor entre duas empresas de uma mesma rede. A variação de preços pode ocorrer também em detrimento de promoções e da marca dos produtos”, pontua Magno Silva, diretor de Fiscalização do órgão

Dicas para os consumidores

No momento da compra da carne, o consumidor tem o direito de decidir a quantidade de carne que pretende levar para casa, que pode ser desde apenas meio quilo de carne ou a peça inteira, por exemplo. E ao manusear a carne, o atendente deve pesar apenas a quantidade de carne solicitada. Mesmo que o peso ultrapasse a quantidade desejada, o consumidor não pode ser obrigado a levar mais do que pediu. A regra só não vale para as peças previamente embaladas e vendidas a vácuo ou que são divididas em bandejas, quando não há obrigação de fracionamento.

O Procon Tocantins alerta para que os consumidores exijam que todas as impurezas, sebos e pelancas sejam retirados da carne. Além disso é importante observar a cor e o modo de conservação do produto.

Os açougues, supermercados e comerciantes de carne em geral, situados no Estado do Tocantins, são obrigados a expor, em local visível, de forma clara e legível aos consumidores, razão social, nome de fantasia, telefone, endereço e número da inspeção do frigorífico fornecedor dos produtos expostos à venda, bem como o prazo de validade do produto.

A exigência da nota fiscal ou cupom fiscal é fundamental para formalizar possíveis reclamações ou denúncias.

Link da pesquisa: https://central.to.gov.br/download/362485

Denuncie

Em caso de denúncias, o consumidor deve entrar em contato por meio do Disque 151, ou por meio do Whats Denúncia no (63) 99216-6840. Para formalizar a denúncia, é preciso checar bem as informações, bem como apresentar comprovantes e fotos para subsidiar as ações de fiscalização.