Palmas
28º
Araguaína
29º
Gurupi
27º
Porto Nacional
28º
SAÚDE PÚBLICA

Tocantins inicia atendimento para zerar fila reprimida de cirurgias ortopédicas

23 agosto 2022 - 11h23Por Ascom

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) iniciou o agendamento de pacientes para realização de avaliação cirúrgica ortopédica eletiva, no Tocantins. A ação acontece após o resultado do credenciamento público de empresas para a prestação de serviços de ortopedia eletivos, que contempla consulta e realização dos procedimentos cirúrgicos. Duas empresas estão aptas, após participação em credenciamento público e outras seguem com documentação em análise.

O credenciamento pretende atender 993 pacientes que necessitam de cirurgias ortopédicas eletivas, de um total atual de 1.272 pacientes da fila da Central Estadual de Regulação. Os pacientes foram elencados entre os 26 procedimentos com maior demanda no Estado, como reconstrução de ligamentos, artroplastia, reparo de rótula, osteotomia de ossos, entre outros. Os procedimentos serão pagos de acordo com a produção das empresas.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Afonso Piva, “a ortopedia é uma das áreas com maior demanda por cirurgias e nossas equipes tem se esforçado para reduzir a fila de eletivas, que é constante. Em nove meses o Estado do Tocantins fez mais de seis mil e quinhentas cirurgias eletivas e este credenciamento visa reforçar este trabalho, atendendo aos pacientes da ortopedia, que estão represados desde 2010. A realização dos procedimentos na rede privada irá atualizar a fila, para que a partir daí, as cirurgias sigam normalmente dentro da nossa rede hospitalar”, disse o gestor.  

Serviço de Ortopedia

As empresas contratadas serão responsáveis pelo serviço hospitalar que inclui: consulta pré-cirúrgica, consulta pós-cirúrgica, acompanhamento pré-operatório, intra-operatório e pós-operatório, procedimento cirúrgico, internação, atendimento das intercorrências, fornecimento de exames laboratoriais, exames de imagem, mão de obra, materiais, medicamentos, insumos, equipamentos, OPME e retaguarda em leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), caso haja necessidade.

O serviço será ofertado aos pacientes que aguardam por procedimento eletivo no Sistema de Gerenciamento de Lista de Espera (SIGLE), da Central Estadual de Regulação.

Cardíacas

O Estado ainda trabalha em um novo credenciamento para realização de mais de 200 cirurgias eletivas cardíacas. “Com a chegada das empresas privadas, teremos um reforço para nossos hospitais que já se mostraram produtivos e isso nos ajuda a chegar em nossa meta que é realizar todas as cirurgias eletivas em menos de três meses de espera do paciente”, destacou Afonso Piva.