Palmas
26º
Araguaína
27º
Gurupi
28º
Porto Nacional
24º
LEVANTAMENTO

Tocantins registra 38 afogamentos em 2022; três mortes ocorreram em julho

25 julho 2022 - 11h22Por G1 Tocantins

Pelo menos 38 pessoas morreram afogadas em praias e balneários do Tocantins, entre janeiro e julho deste ano, segundo levantamento do Corpo de Bombeiros. Neste mês já são três ocorrências registradas e do total de casos, 71% das vítimas não sabia nadar.

O último caso foi registrado no domingo (24), quando o corpo de um homem de 42 anos foi encontrado boiando a um quilômetro da Praia da Tartaruga, em Peixe, no final da manhã deste domingo (24). A vítima foi levada até a margem direita do Rio Tocantins e o Instituto Médico Legal (IML) recolheu o corpo.

Na sexta-feira (22), Gustavo Lourenço Rodrigues, de 20 anos, se afogou no rio Araguaia, na zona rural de Caseara, no oeste do estado. Ele desapareceu à tarde e na manhã de sábado (23), começaram as buscas. O corpo foi encontrado durante a tarde.

Conforme levantamento feito de janeiro a junho deste ano, das vítimas registradas, 83% eram homens, 47% haviam ingerido álcool e 71% não sabia nadar. Com relação aos locais onde ocorreram os afogamentos, nenhuma das mortes aconteceu em praias oficiais. Entretanto, 53% foram em rios do Tocantins, 58% em trechos com correnteza, 25% em acampamentos. Os dados de julho ainda não foram incluídos no balanço.

Em 2021, o número de pessoas que perderam a vida nos rios chegou a 77. E o dado aumento, já que em 2020, foram 73 afogamentos.

Neste ano, os bombeiros classificaram 17 praias como as mais perigosas do estado, levando em consideração volume de público, extensão, localização, presença de embarcação, banhistas com comportamento de risco, locais profundos próximos às áreas de banho, correntezas, pedras e animais aquáticos. Em todo estado são 80 praias oficiais e mais de 500 balneários.

Cuidado nas águas

Para evitar mortes por afogamento nos rios e balneários, todos os locais devem obedecer a normas de segurança emitidas pelos bombeiros em maio deste ano.

Entre as normas está a necessidade de sinalização das áreas de banho e da movimentação de embarcações. O objetivo é garantir a segurança dos banhistas.

Para esta temporada de praia, os bombeiros treinaram 356 guarda-vidas civis que atuam em serviço voluntário em praias de oito cidades.