Menu
Busca terça, 27 de outubro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
32ºmax
23ºmin
NO TOCANTINS

Garoto de 15 anos morre e pais autorizam doação de órgãos; atitude beneficiará 6 pessoas

05 agosto 2020 - 16h08

A doação de órgãos é um gesto altruísta, exercido por familiares de pacientes, que mesmo em momento de extrema dor, conseguem exercer o amor ao próximo, em um ato de generosidade com pessoas desconhecidas. No fim da tarde dessa terça-feira, 4, no Hospital Geral de Palmas (HGP), foi realizado o procedimento de captação de múltiplos órgãos. A ação foi feita graças à autorização de familiares de um paciente de 15 anos, diagnosticado com morte encefálica, ao permitirem a doação. Ao todo, seis pessoas serão beneficiadas com as doações de coração, fígado, rins e córneas do paciente.

O enfermeiro da Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT), do Hospital Geral de Palmas (HGP), Vinicius Gonçalves Boaventura, explicou que a autorização dos familiares é essencial para a doação. “A família é tudo, porque sem o sim da família não existe processo, sem o sim dos familiares, eu posso ter equipe, hospital, avião, helicóptero, posso ter tudo, mas eu não tenho doação, então, eu preciso do sim da família para que tudo ocorra”, ressaltou.

Vinicius Gonçalves Boaventura também agradeceu aos familiares do doador pela ação realizada. “Nós temos muito a agradecer a essa família, pois é um momento de dor, onde eles colocaram essa dor e o sofrimento de lado e pensaram no próximo, em salvar outras pessoas, mesmo diante de tudo que eles estão vivendo”. O profissional ainda esclareceu que a doação não ajuda apenas o paciente, mas toda sua família, “a gente não coloca só seis pacientes beneficiados, atrás de cada paciente tem uma família, é um pai, uma mãe, um filho, você não muda a vida de uma pessoa, a doação muda a vida de várias, pois é um conjunto”.

“Agradecemos à família, pelo ato de amor ao próximo, pois com esse sim, muitas vidas puderam ser salvas, e esse ato beneficiará outros pacientes e suas famílias. Agradeço também a toda equipe e aos parceiros envolvidos para concretizar o desejo da família. Aproveito também para lembrar que, se você quer ser um doador, avise sua família, pois somente eles poderão autorizar a doação. Salve vidas!”, ressaltou a coordenadora da Central Estadual de Transplante do Tocantins, Suziane Crateús.

“Temos trabalhado constantemente para auxiliar todas as demandas referentes à captação e à doação de órgãos na unidade, pois sabemos que este ato é primordial para salvar muitas vidas”, explicou Leonardo Toledo, diretor-geral do HGP.

Captação

A ação de captação dos órgãos ocorreu graças ao trabalho de vários profissionais, dentre eles a equipe da Central Estadual de Transplante do Tocantins (Cetto), juntamente com a equipe da Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do HGP e médicos de outras unidades hospitalares que vieram a Palmas realizar a captação e o transporte dos órgãos para transplantes. A mobilização teve início após a abertura do Protocolo de Morte Encefálica do paciente, que possibilitou a captação em tempo hábil dos órgãos para doação.

A equipe da Central Nacional de Transplantes se deslocou, com o apoio da Força Aérea Brasileira, para a captação e a remissão para os outros estados e, no Tocantins, toda operação contou com o apoio da Secretaria de Estado da Segurança Pública, por meio da equipe do Centro Integrado de Operações Aéreas do Tocantins (Ciopaer), responsável pelo deslocamento ágil entre hospital e aeroporto.

Para doar

Os interessados em doar órgãos precisam primeiramente informar sua família sobre esse desejo, pois os familiares dos pacientes são os únicos responsáveis pela autorização da captação dos órgãos.

Os órgãos captados serão doados a pacientes que precisam de transplante e aguardam em uma lista de espera, única e nacional. A compatibilidade entre doador e receptores é determinada por exames laboratoriais feitos imediatamente após a autorização dos familiares.

AO VIVO