Palmas
31º
Araguaína
34º
Gurupi
34º
Porto Nacional
33º
TECNOLOGIA

Do manual ao automatizado: a transformação dos testes de software

11 junho 2024 - 12h00Por

A área de desenvolvimento de software evoluiu muito nas últimas décadas. O que escancarou a importância do teste de software e da especialização em um curso do setor.

Isso porque, desde os primeiros dias de testes manuais, em que desenvolvedores e o analista de testes verificavam cada função e componente, até os modernos testes automatizados que permitem a execução rápida e repetitiva de casos de teste complexos, todo o desenvolvimento do mercado girou em torno da necessidade em criar soluções melhores para os usuários.

E isso está diretamente relacionado com o que faz um testador de software.

É o que vamos mostrar a seguir. A partir do crescimento da área de teste de software, vamos explicar tudo o que faz esse profissional e te mostrar por que (e como) um curso de teste de software pode fazer toda a diferença na sua vida. Confira!

Histórico dos testes de software

Os testes começaram de forma simples, com desenvolvedores testando manualmente suas próprias criações para garantir que funcionassem corretamente. 

Isso acontecia, por exemplo, lá nos primeiros anos da computação comercial (entre as décadas de 1950 e 60) por meio de técnicas rudimentares e, muitas vezes, informais — nada parecido com o teste automatizado que vemos hoje aplicado.

Mas foi a partir dos anos 70 que o teste de software passou a ser reconhecido como uma disciplina própria, com a introdução de técnicas específicas como testes unitários, de integração e de sistema — o que trouxe mais variedade aos testes manuais.

Testes manuais: fundamentos e práticas

Como falamos, eles são realizados por analistas de testes que executam experimentos sem o auxílio de ferramentas de automação. Ou seja: eles envolvem a verificação manual das funcionalidades do software para garantir que cada aspecto funcione conforme o esperado.

Isso traz mais versatilidade para implementar a intuição e criatividade na identificação de problemas que um teste de software automatizado pode não detectar.

Mas o processo manual, em teste de software, é mais demorado e pode se tornar impraticável para grandes projetos e sempre existe a possibilidade maior de erro humano, o que pode levar a experimentos inconsistentes e à omissão de defeitos.

Introdução aos testes automatizados

A necessidade em realizar a automação em testes de software apareceu com a crescente complexidade dos sistemas e a necessidade de ciclos de desenvolvimento mais rápidos e eficientes. 

Um teste automatizado, com as ferramentas de teste de software, permite a execução rápida e repetitiva de casos de teste, garantindo uma cobertura abrangente e resultados consistentes. Além de:

  •   Maior frequência, o que permite a entrega contínua de softwares;
  • Repetibilidade e consistência de maneira uniforme;
  •  Cobertura de uma vasta gama de casos de teste, incluindo cenários complexos.

Exploração dos tipos de testes de software

Os testes unitários e os testes funcionais são fundamentais para garantir a qualidade do software. 

Primeiramente, o teste unitário: por meio dele é possível verificar a funcionalidade de unidades individuais de código, como funções ou métodos, de forma isolada. 

Assim, são essenciais para detectar erros precocemente no ciclo de desenvolvimento, o que também facilita a correção de problemas com menor custo e impacto. 

Já os testes funcionais conseguem avaliar a maneira com a qual o sistema age e reage em relação aos requisitos especificados, verificando se o software atende às funcionalidades esperadas e aos critérios de aceitação. 

Portanto, ambos os tipos de testes de software têm valor porque conferem maior cobertura para a realização de um processo coeso de desenvolvimento (e dos quais um aluno pode encontrar no curso do setor)..

Carreira de um analista de testes e QA

Por falar em curso, você sabe o que faz um testador de software e o que ele deve aprender para ser um profissional diferenciado no setor de teste de software?

Nós reunimos para você logo abaixo. Essencialmente, quem trabalha com teste de software (ou QA), deve:

  • Planejar estratégias de teste;
  • Criar e executar casos de teste;
  • Relatar e documentar bugs;
  •  Colaborar com a equipe de desenvolvimento para resolver problemas. 

Até por isso, é muito importante conhecer linguagens de programação e ferramentas de automação, ter pensamento crítico e analítico, além de uma boa capacidade de comunicação.

Aprenda a ser um analista de testes com o curso de teste de software da TripleTen Brasil

Já falamos sobre as ferramentas de teste de software e métodos para isso. Mas você saberia dizer qual é o curso para ingressar no mercado de trabalho de teste de software?

A TripleTen — cujos bootcamps de programação já formaram mais de 5 mil alunos — tem o curso de teste de software, que é o curso certo para isso e prepara a formação de um analista em menos de um ano, graças ao método de aprendizagem imersivo e 100% on-line.

Assim, é possível aprender o trabalho de teste de software (e também os principais testes de software) rapidamente, no seu ritmo, e com total apoio para alcançar as suas primeiras oportunidades profissionais na área.

Que tal dar um passo importante rumo à sua especialização em QA com um curso diferenciado da TripleTen? E o melhor: com 30% de desconto na matrícula?

É muito simples alcançar essa economia no investimento em sua educação. Tudo o que você precisa fazer é aproveitar o cupom FUTUROBR30 e iniciar logo, logo o seu curso de teste de software com a TripleTen Brasil!