Palmas
25º
Araguaína
27º
Gurupi
24º
Porto Nacional
25º
PESQUISA

Índice de infestação predial do Aedes cai em Palmas

09 julho 2022 - 09h27

O resultado do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) mostra que Palmas teve redução do índice de infestação predial pelo mosquito, vetor de doenças como dengue, zika e chikungunya. O levantamento foi realizado pelas equipes da Unidade de Controle de Vigilância de Zoonoses (UVCZ) da Secretaria Municipal da Saúde (Semus) entre os dias 27 de junho e 1º de julho. 

Conforme as análises do LIRAa, Palmas obteve o índice de infestação predial de 0,3%. Segundo a UVCZ, quando o índice é inferior a 1%, indica que a Capital encontra-se em situação satisfatória e de baixo risco para transmissão de doenças pelo mosquito. No mesmo período do ano passado, o índice do LIRAa foi de 0,4%.

Conforme a UVCZ, contribuíram para o resultado do Liraa diversos fatores, mas o de maior relevância é o próprio período de estiagem. Contudo, as ações que vêm sendo executadas, a exemplo das visitas domiciliares, ingressos forçados e o uso do fumacê também somaram para este resultado. No entanto, a Semus reforça que embora o resultado esteja satisfatório é fundamental continuar com as ações de prevenção e de educação em saúde neste período não chuvoso  para evitar casos de epidemia.  

Auriman Cavalcante, gerente da UVCZ, salienta que  se faz necessária a participação de toda a população no controle das doenças transmitidas pelo Aedes. “Somente com a adoção pela população de práticas para a manutenção do ambiente domiciliar preservado da infestação do Aedes é que se pode controlar essas doenças”. 

Ele explica que o mosquito possui um ciclo de vida de aproximadamente dez dias que pode ser menor dependendo da temperatura e da quantidade de chuvas. “Logo, em dez dias mais ou menos, o mosquito pode passar por toda a metamorfose natural da sua espécie (ovo, larva, pupa e mosquito adulto) até chegar à fase adulta. Nessa fase é que ele pode dispersar as doenças”. 

O profissional ressalta que a população não deve descuidar das medidas que devem ser adotadas durante todo o ano para evitar a procriação do vetor. “Uma vistoria nos seus imóveis uma vez por semana para eliminar todos os possíveis focos do mosquito é uma atitude fundamental para enfrentarmos e combatermos o mosquito, isso leva apenas dez minutos do seu tempo”. 

O LIRAa

O LIRAa é uma pesquisa amostral realizada quatro vezes ao ano, tendo como finalidade fornecer informações de maneira rápida e oportuna permitindo o direcionamento das ações para áreas apontadas como críticas.  

Como contribuir para afastar o mosquito Aedes aegypti:
- Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
- Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
- Mantenha lixeiras tampadas;
- Deixe os tanques utilizados para armazenar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
- Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água.
- Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
- Mantenha ralos fechados e desentupidos;
- Lave com escova os potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana;
- Retire a água acumulada em lajes;
- Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada;
- Evite acumular entulho, pois podem se tornar criadouros do mosquito.