Palmas
24º
Araguaína
24º
Gurupi
24º
Porto Nacional
26º
OPERAÇÃO POLICIAL

Esquema que deu prejuízo de R$ 1 milhão para Caixa teve participação de funcionário

08 dezembro 2023 - 08h27

O grupo criminoso que conseguiu dar um prejuízo superior a R$ 1 milhão na Caixa Econômica Federal, em Palmas, supostamente contou com participação de um funcionário do próprio banco. O esquema também teve envolvimento de dezenas de laranjas.

SIGA o Portal O Norte nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram

Os detalhes da investigação estão na decisão da 4ª Vara da Justiça Federal que autorizou a operação 'Decies Cetena Milllia', realizada na manhã desta quinta-feira (7) em Palmas pela Polícia Federal. O documento revela o envolvimento de pelo menos cinco pessoas de um grupo familiar.

A Caixa Econômica Federal afirmou que não comenta investigações em andamento, mas busca aperfeiçoar os critérios de segurança constantemente. (Veja nota completa abaixo)

A investigação apontou que foram abertas 22 contas bancárias em nome de diferentes pessoas de baixa renda que se tornaram laranjas do esquema. Todas fizeram contratos de crédito indicando a empresa ligada ao grupo familiar, uma madeireira, como beneficiária.

Ao todo, foram pagos créditos que totalizaram R$ 1.047.870,88.

A polícia descobriu que essas contas foram abertas entre fevereiro e novembro de 2019, sem verificação de dados e análise de riscos, além de terem utilizado o endereço da própria madeireira para comprovação de residência. Todos os contratos de crédito foram feitos pelo mesmo funcionário do banco.

A Justiça também verificou que após receber os valores, a empresa madeireira foi transferida para o nome de laranjas e depois encerrou as atividades.

Só que o grupo familiar suspeito de orquestrar as fraudes abriu outra loja no mesmo ramo, utilizando também o mesmo endereço e até os mesmos telefones da antiga empresa.

“[...] pode-se concluir que são fortes as evidências da prática de fraudes (ou peculato), de lavagem de dinheiro e associação criminosa por parte dos investigados”, diz trecho da decisão do juiz Adelmar Aires Pimenta da Silva.

A operação

A operação 'Decies Cetena Milllia' foi realizada na manhã desta quinta-feira (7). Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão expedidos pela 4ª Vara da Justiça Federal em Palmas.

As investigações também apontaram que as fraudes eram feitas por meio de abertura de contas e obtenção de créditos como financiamento e cartão de crédito.

Os indiciados poderão ser responsabilizados pela prática dos crimes de associação criminosa, estelionato qualificado e peculato. As penas somadas podem chegar a mais de 20 anos de prisão.

Segundo a Polícia o nome da operação 'Decies Cetena Milllia' faz referência ao montante do prejuízo causado à empresa pública federal. O nome significa 'um milhão' em latim.

O que diz a Caixa Econômica Federal

A CAIXA informa que atua conjuntamente com a Polícia Federal e demais órgãos de segurança pública na identificação e investigação de casos suspeitos e na prevenção e combate a fraudes e golpes. A instituição não divulga informações sobre eventuais irregularidades e procedimentos correcionais em andamento, considerando o dever de proteção de dados pessoais de envolvidos.

O banco aperfeiçoa constantemente os critérios de segurança, observando as melhores práticas de mercado e as evoluções necessárias ao observar a ocorrência de fraudes.

Adicionalmente, esclarecemos que a CAIXA possui estratégia, políticas e procedimentos de segurança para a proteção dos dados e operações de seus clientes e dispõe de tecnologias e equipes especializadas para garantir segurança aos seus processos e canais de atendimento.

*G1 Tocantins