Menu
Busca segunda, 20 de setembro de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
36ºmax
23ºmin
NO TOCANTINS

Idoso encomendou a própria morte após matar a esposa a facadas

12 agosto 2021 - 08h41Por Redação

Um homem foi condenado a 11 anos e 4 meses de prisão pelo assassinato de um idoso de 70 anos. O caso teve grande repercussão na época porque tanto a Polícia Civil como a Justiça concluíram que a vítima teria encomendado a própria morte. 

O crime aconteceu em fevereiro do ano passado em Peixe no Sul do Estado, quando a vítima, Arnaldo José Lemos, foi morta a golpes de faca pelo autor, Adalberto Feitosa de Freitas Filho (46 anos).

De acordo com as investigações, a vítima teria pago R$ 1,5 mil a Adalberto, dado instruções sobre como o crime deveria acontecer e ainda assistido sentado em um toco enquanto a própria cova era cavada. Após levar a primeira punhalada, a vítima ainda teria sobrevivido e insistido que o assassinato fosse concluído.

Após enterrar o corpo do idoso, Adalberto Filho pegou carona com um policial militar. O PM disse em depoimento que o homem aparentava estar bêbado. Ele acabou sendo identificado porque tentou descontar o cheque entregue pelo idoso morto em uma oficina na cidade de São Valério.

 

Adalberto Filho foi condenado pelo Júri Popular e a pena deve ser cumprida em regime fechado. Ele está preso preventivamente e vai continuar detido enquanto apresenta recursos à Justiça. Durante a audiência, o acusado confessou o crime. 

O assassinato da esposa

Ainda durante a apuração do crime, a polícia descobriu que o idoso assassinado era foragido da Justiça, considerado suspeito da morte da esposa, Deyse Furtado, em Minas Gerais e esta teria sido a motivação dele para encomendar a própria execução.

Dayse Furtado foi assassinada a facadas alguns dias antes da morte dele. De acordo com a PM de Minas Gerais, o casal teria discutido na noite do crime. Dayse e Arnaldo namoravam há dois anos, mas moravam juntos há apenas seis meses quando tudo aconteceu.

Segundo a família da vítima, o relacionamento dos dois era conturbado. Ele sentia ciúmes da mulher por causa do trabalho dela como leiloeira. Testemunhas foram ouvidas na delegacia e confirmaram o relacionamento abusivo. Mas apesar das reclamações, Dayse nunca havia denunciado o companheiro.

*Com informações do G1 Tocantins 

AO VIVO