Palmas
26º
Araguaína
27º
Gurupi
28º
Porto Nacional
26º
EM TALISMÃ

Incêndio atinge lavoura de milho e vegetação em fazenda da região sul do Tocantins

27 julho 2022 - 16h10Por G1 Tocantins

Um incêndio consumiu parte de lavoura de milho em fazenda localizada no município de Talismã, na região sul do estado. As chamas começaram por volta das 11h desta quarta-feira (27) e até a tarde equipes trabalhavam para conter o fogo. Ninguém se feriu.

Este é o terceiro registro desde domingo (24), quando duas fazendas também tiveram parte das áreas destruídas por chamas. Neste novo incêndio, foram consumidas uma lavoura de milho, palhadas, pastagem e até a vegetação nativa.

De acordo com a Defesa Civil de Talismã, ainda não se sabe a origem do fogo. Também não foram calculados os prejuízos até a tarde. Mas brigadistas, colaboradores da fazenda, Defesa Civil e a Secretaria de Meio Ambiente atuaram no combate aos incêndios na região.

Outras ocorrências

Na tarde de domingo (27), dois incêndios de grandes proporções foram registrados em fazendas de Talismã. As propriedades estavam a 40 quilômetros de distância uma da outra.

O primeiro começou em uma palhada de milho e se alastrou rapidamente pela lavoura. Os moradores de bairros próximos ficaram assustados, já que as chamas se espalharam e quase atingiram casas da região.

No segundo caso, parte de uma lavoura de sorgo foi destruída. As chamas começaram em uma colheitadeira e foram controladas por brigadistas do município e funcionários da propriedade.

O dono da fazenda percebeu o princípio de incêndio e conseguiu apagar o fogo da máquina, mas as chamas passaram para a lavoura. Foram destruídos 34 hectares da propriedade.

Focos de incêndio

De 1° de janeiro até esta quarta-feira (27), o estado registrou 4.159 focos de incêndio. Somente neste mês de julho, já são 1.384 focos. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Em 2022 o estado e os municípios têm investido na formação e contratação de brigadistas. São realizadas visitas em propriedades rurais no interior do estado para tentar conscientizar os produtores sobre o risco de manejar o fogo de forma incorreta.