Menu
Busca segunda, 17 de fevereiro de 2020
(63) 99292-6165
Araguaína
32ºmax
22ºmin
Clique Wizard 300x250
QUADRILHA DOS PIPOCA

Irmãos mortos em confronto com PMs eram conhecidos como "matadores de policiais"

02 novembro 2019 - 13h31

Dois dos quatro suspeitos mortos ontem em confronto com policiais militares no Tocantins, são do Ceará, eram extremamente perigosos e com passagens pela polícia. As informações são do Diário do Nordeste. 

Suspeitos Identificados

Elineudo Oliveira Silva, conhecido como “Neudo Pipoca” (43 anos) e Elineuton Oliveira Silva (41 anos), nasceram e moravam em Quixadá, no Sertão Central do Ceará. Outros dois criminosos, também integrantes da “Quadrilha dos Pipoca”, morreram no último dia 31 de outubro, eles foram identificados como Paulo Sérgio de Oliveira (33 anos), o “Paulo Pipoca” e Ângelo Márcio Rodrigues (38 anos), conhecido com o “Márcio Pipoca”. Além de assaltos a bancos e carros-fortes, a quadrilha também tinha histórico de assassinatos a policiais.

Ação Policial

As mortes ocorreram durante um confronto dos suspeitos com equipes da Companhia de Operações Especiais (COE), Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), Grupo de Operações com Cães (GOC), policiais militares do 2º, 7º e 8º Batalhão da PM (Araguaína, Guaraí e Paraíso). A tropa, formada por 40 homens e com apoio do helicóptero da Segurança Pública do Tocantins, conseguiu cercar a quadrilha na localidade de Pequizeiro, no município tocantinense de Araguacema. Na troca de tiros, além dos quatro assaltantes mortos, um policial foi baleado e não resistiu aos ferimentos.

PM Morto

O sargento Américo Gama, integrava a corporação da PM desde 1992 e atualmente fazia parte da Equipe de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), pertencente ao Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). Gama está sendo velado no Comando Geral da PM em Palmas e o sepultamento deve ser realizado hoje a tarde. Ele deixa esposa e quatro filhos. 

A PM lamentou a morte do Sargento e o comandante-geral Jaizon Veras decretou luto de três dias na Polícia Militar do Tocantins. O governador Mauro Carlesse (DEM) também decretou luto de três dias no Estado.

Entenda

Os policiais procuravam os autores da tentativa de roubo de um carro-forte ocorrido no último dia 24, numa estrada vicinal, na saída para Araguacema (TO). O veículo fazia o transporte de valores daquela cidade para o município de Pequizeiro (TO), quando foi surpreendido por uma camionete ocupada com cinco indivíduos encapuzados. Houve tiroteio, mas os criminosos não conseguiram roubar o carro-forte.

No mesmo dia, cinco homens roubaram um veículo Palio Weekend e R$ 5 mil de uma fazenda. O veículo foi abandonado com diversos objetos no interior como redes, barracas, anti-inflamatórios, mantimentos, roupas e itens de higiene pessoal.

Primeiro confronto

Na quinta-feira (31), dois homens morreram durante confronto com a PM, entre as cidades de Goianorte e Araguacema. O confronto aconteceu depois que as equipes do Batalhão de Choque faziam patrulhamento na região à procura da quadrilha que tentou roubar o carro-forte no dia 24.

Os  policiais viram dois homens em atitude suspeita e afirma que eles estariam tentando resgatar autores do roubo que estariam escondidos num matagal. Segundo a polícia, os suspeitos reagiram à abordagem atirando nas equipes, que revidaram. Eles morreram no local.

Posto do Bradesco

Na madrugada de sexta (1º), mais uma ação criminosa foi registrada quando assaltantes atacaram um posto de atendimento bancário em Pequizeiro. A Polícia Militar foi acionada e no final da manhã em um novo confronto, o Sargento da PM, Américo Gama (53 anos), foi baleado e não resistiu aos ferimentos. 

Ainda na tarde de ontem, mais uma troca de tiros entre policiais e bandidos terminou com dois suspeitos mortos em uma área de mata na região de Pequizeiro. 

Habeas Corpus  

Apontado como chefe da “Quadrilha dos Pipoca“,  “Elineudo Pipoca” e outros quatro integrantes do bando tiveram habeas corpus concedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão homologada, no dia 8 de março de 2017 e publicada no Diário da Justiça do dia 14.

O grupo foi preso em janeiro de 2015, suspeito de atacar um comboio composto de três carros-fortes no município de Russas (CE). Além desta acusação, os “Pipocas’ teriam atuado contra instituições financeiras também nos Estados do Maranhão, Rio Grande do Norte, Pará e Mato Grosso.

Outros integrantes da quadrilha identificados pela polícia são: Raimundo Nonato Rodrigues da Silva, o “Raimundo da Vertente”, 34 anos e Antônio Ricardo Germano de Lima, o “Ricardo da Vila Rica”, 31.

AO VIVO