Palmas
31º
Araguaína
33º
Gurupi
31º
Porto Nacional
31º
SUSPEITOS PRESOS

Motorista de aplicativo foi morto por engano durante corrida, aponta investigação

11 janeiro 2024 - 08h23

A investigação da Polícia Civil confirmou que o motorista de aplicativo Juscelino de Sousa Rosa, de 35 anos, foi morto por engano enquanto trabalhava. No momento do crime ele estava transportando passageiros que supostamente eram membros de uma facção criminosa. Dois suspeitos do crime foram presos no início desta semana.

SIGA o Portal O Norte nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram

O crime aconteceu na madrugada do dia 29 de dezembro de 2023 em Araguaína, no norte do Tocantins. Naquela ocasião a polícia informou que criminosos se aproximaram em um carro e fizeram vários disparos. Juscelino foi atingido quatro vezes e morreu no local. Uma passageira foi baleada na perna e sobreviveu.

O caso foi investigado pela 2ª Delegacia de Homicídios de Araguaína. Os dois suspeitos foram presos preventivamente na segunda-feira (8) pela Polícia Civil no setor Costa Esmeralda, em Araguaína, em cumprimento a mandados da Justiça. Os suspeitos têm 28 e 25 anos, mas não tiveram os nomes informados. 

Segundo a polícia, na noite do crime, dois homens e uma mulher estavam em um bar na Avenida Cônego João Lima, no centro de Araguaína. Por volta das 2h45 da madrugada eles decidiram chamar um carro de aplicativo para irem embora.

"Ocorre que os dois suspeitos também estavam no local e ao perceber que o grupo saiu nesse veículo, conduzido pela vítima Juscelino, entraram em outro carro e foram atrás. Em determinado momento, emparelharam os veículos e efetuaram vários disparos de arma de fogo, que atingiram o motorista Juscelino, que morreu na hora", explicou o delegado Adriano de Aguiar Carvalho.

As investigações revelaram que os criminosos tinham reconhecido dois passageiros do carro de aplicativo como supostos membros de uma facção criminosa rival e, por isso decidiram matá-los.

“Desse modo, nossas investigações apontaram que o alvo dos investigados eram os dois homens que estavam no carro de aplicativo e não o motorista que acabou sendo morto por engano”, afirmou.

Suspeitos tem várias passagens

O homem e 28 anos foi preso no momento que estava em uma casa junto com o irmão de 26 anos. No momento da prisão havia drogas e um revólver no local e por isso os dois vão responder por tráfico e posse ilegal de arma de fogo.

Esse suspeito de 28 anos é condenado por outros dois homicídios, em Imperatriz (MA) e em Palmas. As penas somadas passam de 25 anos de prisão. Apesar disso, ele tinha sido colocado em prisão domiciliar em março de 2023 após ter problemas de saúde.

O outro suspeito do assassinato de Jucelino de Sousa tem 25 anos. Ele foi preso por tráfico em 2020, mas estava em liberdade provisória.

Com o encerramento das investigações, o inquérito sobre o assassinato do motorista de aplicativo será enviado para a Justiça e o Ministério Público.

*G1 Tocantins