Palmas
26º
Araguaína
24º
Gurupi
23º
Porto Nacional
26º
EM ARAGUAÍNA

Mulher quebra o silêncio e denuncia companheiro por agressões; autor foi preso

27 agosto 2022 - 07h49

A Polícia Civil por meio da 3ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (3ª DEAM), Araguaína, no norte do Estado, prendeu em flagrante, no final da tarde desta quinta-feira, 25, um homem de 25 anos, pela prática de vias de fato, no contexto de violência doméstica contra sua companheira.

De acordo com as delegadas Ana Maria Varjal e Sarah Lilian, na desta quinta-feira, 25, a vítima compareceu à Delegacia da Mulher informando que teria acabado de ser agredida por seu companheiro. A mulher também relatou que já havia sido agredida anteriormente por ele, mas nunca teve coragem de denunciá-lo.

Considerando a situação de flagrância e a gravidade do caso, uma equipe da unidade policial especializada foi até a residência do casal e efetuou a prisão do homem, o qual foi apresentado à autoridade policial para os procedimentos legais cabíveis. Logo em seguida, o indivíduo foi recolhido à Unidade Penal de Araguaína, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

A vítima foi acolhida e solicitou medida protetiva de urgência contra o seu companheiro. A Polícia Civil reafirma seu comprometimento em realizar as ações que se fizerem necessárias em busca da proteção de todas as mulheres, que porventura sofram de algum tipo de violência doméstica, seja na esfera física, psicológica, sexual, patrimonial, dentre outras.

Para as delegadas Ana Varjal e Sarah Lilian, é de fundamental importância que a vítima de violência doméstica denuncie às autoridades competentes visando o encerramento do ciclo de violência. “A prisão realizada pela 3ª DEAM de Araguaína é de muita relevância, visto que a pronta intervenção da Polícia Civil encerrou um ciclo de violência que poderia evoluir para um caso de feminicídio”, disse a delegada Sarah.

Por sua vez, a delegada Ana Maria Varja, enfatizou a importância da denúncia feita pela vítima, o que possibilitou a deflagração da ação e que resultou na prisão do agressor. “As mulheres vítimas de violência precisam formalizar as denúncias, no intuito de preservar a própria integridade física e também a própria vida, pois a Polícia Civil do Tocantins está preparada para realizar as intervenções necessárias a fim de responsabilizar o agressor”, ressaltou a autoridade policial.

Ana Maria também destacou que a prisão é simbólica, pois foi realizada durante o Agosto Lilás, que é o mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher. A data faz referência aos 16 anos de criação da Lei Maria da Penha, importante ferramenta de combate à violência contra a mulher.