Palmas
32º
Araguaína
35º
Gurupi
34º
Porto Nacional
32º
EM PARAÍSO

Operações da DEIC desarticulam diversas organizações criminosas

30 dezembro 2023 - 08h52

Apreensão de cerca de 270 kg de entorpecentes, 62 prisões, bem como o cumprimento de 30 mandados de busca e apreensão. Esses são os resultados das diversas operações que marcaram o ano de 2023 para as equipes da 6ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (DEIC - Paraíso do Tocantins). 

SIGA o Portal O Norte nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram

“Foi um ano bastante produtivo na 6ª DEIC em que intensificamos os trabalhos investigativos, utilizando todos os recursos necessários para desarticular grandes organizações criminosas ligadas não só ao narcotráfico, mas também a lavagem de capitais e corrupção. Um trabalho árduo mas com grandes resultados”, destaca o delegado titular da 6ª DEIC, Antonio Onofre Oliveira da Silva Filho.

Já no primeiro mês do ano, a 6ª DEIC concluiu o inquérito que apurava a existência de uma facção criminosa que, entre outros crimes, teria promovido uma espécie de julgamento no  “Tribunal do Crime”, em Paraíso do Tocantins. Oito pessoas foram indiciadas pelo crime de tentativa de homicídio duplamente qualificado por emboscada e mediante tortura. Outros nove indivíduos foram indiciados por integrar organização criminosa.

Laboratório

Durante os meses de fevereiro e março, diferentes fases da Operação Laboratório foram deflagradas com o objetivo de investigar a prática de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, por meio de estabelecimentos comerciais em Paraíso do Tocantins. 

A Operação foi desencadeada após a prisão de um empresário da cidade, ocorrida no dia 1º de fevereiro. Ele foi preso por manter um laboratório de refino de derivados de cocaína, com ele foram apreendidos cerca de R$ 300 mil em drogas e mais de R$ 260 mil em objetos encontrados em sua posse, além de terem sido verificadas movimentações bancárias suspeitas efetuadas pela esposa.

No dia 13 de março, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em duas lojas de roupas de propriedade do investigado e de sua esposa, que possivelmente estariam sendo usadas para dissimular a origem dos valores provenientes do narcotráfico. Foram apreendidos mais de R$10 mil em espécie, cerca de R$50 mil em cordões de ouro, além de documentos contábeis e fiscais dos estabelecimentos comerciais.

No dia 24 de março, a equipe da 6ª DEIC prendeu cinco pessoas, sendo três homens de 38, 31, e 29 anos, e duas mulheres de 25 e 23 anos, por crime de lavagem de capitais. Essas pessoas estavam envolvidas diretamente na lavagem do dinheiro oriundo do comércio de entorpecentes, os quais pulverizavam o dinheiro sujo para outras contas bancárias no intuito de evitar a apreensão dos valores e manter o proveito do crime.

Fauda

Em junho, a Operação Fauda deflagrada com o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada no tráfico estadual de drogas, resultou na apreensão de cerca de 100 quilos de entorpecentes, aproximadamente 50 quilos de compostos químicos, prensa hidráulica para refinamento de cocaína e balanças de precisão, além de máscaras usadas no laboratório de drogas. Também foram apreendidos cerca de R$ 17 mil em espécie, máquinas de cartão de crédito, armas de fogo e munições, três  automóveis e duas motocicletas.

A operação ocorreu simultaneamente em Paraíso do Tocantins, Monte do Carmo, Porto Nacional e Palmas. Ao todo foi dado cumprimento a oito mandados de prisão preventiva e lavrados mais três autos de prisão em flagrante contra quatro pessoas, entre os envolvidos, pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, posse de arma de fogo, e tráfico de drogas.

Missing

Em novembro, foi deflagrada a Operação Missing dando cumprimento a mandados de prisão preventiva e busca e apreensão em desfavor de dois policiais militares, investigados por envolvimento no caso do desaparecido Filipe Coelho Siqueira, o qual foi visto pela última vez em 1º de agosto deste ano. As prisões e buscas foram realizadas nas residências dos suspeitos nas cidades de Paraíso e Palmas. 

Desde que tomou conhecimento de seu desaparecimento, as equipes da 6ª DEIC vêm empreendendo inúmeros esforços de forma exaustiva a fim de localizar a vítima, ou mesmo os seus restos mortais, empregando todos os recursos à disposição, inclusive utilizando drones com câmeras termais nos prováveis lugares onde Filipe poderia ter sido descartado. Mas até o momento, Filipe não foi localizado. Os policiais militares investigados permanecem presos, mas se reservaram ao direito de permanecerem em silêncio durante as oitivas realizadas até o momento.

Najas

Outra grande ação foi a Operação Najas, deflagrada pela 6ª DEIC, no município de Caseara, no dia 5 de dezembro, resultado de investigação que apura fraudes em licitação para locação de veículos realizada pela Prefeitura.

Ao todo, 80 policiais civis foram mobilizados para a operação que teve como objetivo dar cumprimento a 19 mandados de busca e apreensão, 15 mandados de afastamento de função pública e 20 medidas cautelares. A Operação Najas teve como alvos a prefeita, o vice-prefeito, o presidente da Câmara de Vereadores, secretários municipais, empresas, dentre outros envolvidos.

A investigação apura crimes de fraude em licitações, desvio de recursos públicos, organização criminosa, lavagem de capitais, falsidade ideológica, e demais crimes contra a administração pública.  

*SSP-TO