Palmas
26º
Araguaína
24º
Gurupi
23º
Porto Nacional
27º
VIOLÊNCIA

Palmas registrou 16 assassinatos no mês de agosto; saiba quem são as vítimas

25 agosto 2022 - 15h56Por G1 Tocantins

Palmas registrou 16 assassinatos em menos de um mês em uma onda de violência que está preocupando moradores. As vítimas são homens, alguns foram encontrados com marcas de tortura. Entre os mortos está Higor Pereira Melo, de 19 anos, que era garçom e pode ter sido morto por engano.

Entre as vítimas de assassinatos neste mês estão: Higor Pereira Melo, João Batista Mendes da Silva, Lucas Barcelos de Deus, Jocivan Ferreira Gonçalves, Lindomar Martins Carvalho, Maycon Roberto Pereira Resplandes e Adolfo Alves Ribeiro Filho.

O aumento dos crimes chama atenção até das forças de segurança, que se mobilizaram e tentam identificar e prender os suspeitos. Em agosto de 2021 foram registrados dois assassinatos na capital. Já neste ano, antes do mês acabar, já são 16 casos. De janeiro até esta quarta-feira (24) ocorreram 54 homicídios.

O último crime aconteceu em uma kitnet no Jardim Aureny IV, onde Higor Pereira Melo morava com a esposa. A vítima teve a casa invadida e foi atingido por tiros. Ele trabalhava como garçom na Praia da Graciosa e se mudou para o endereço recentemente. Segundo a polícia, o jovem não tinha passagem criminal e teria sido confundido com um traficante que havia morado na mesma casa.

Higor, que era casado e muito querido pela família, amigos e colegas de trabalho, chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.

Outros homens assassinados recentemente foram identificados no Instituto Médico Legal. O corpo queimado e com as mãos amarradas com arame que foi encontrado perto da praia do Prata seria de João Batista Mendes da Silva.

O homem que foi carbonizado com mãos e pernas amarradas em Luzimangues foi identificado como Lucas Barcelos de Deus. Segundo a família ele foi sequestrado no sábado (22), dias antes do corpo ser localizado.

No último domingo (23) dois homens foram mortos a tiros com poucos minutos de diferença e em locais distintos. As vítimas são: Jocivan Ferreira Gonçalves e Lindomar Martins Carvalho.

No dia 21 de agosto foi registrada a morte de Maycon Roberto Pereira Resplandes. Ele foi internado no Hospital Geral de Palmas após no dia 20 após ter sido surpreendido dentro de casa, no setor Lago Sul, por quatro homens que chegaram de carro.

Adolfo Alves Ribeiro Filho também morreu no HGP a espera de UTI após ser agredido em um bar na região sul de Palmas. A polícia também registrou o assassinato de Genilson Reis Mendonça.

Investigação

Diante da quantidade de crimes registrados a Polícia Militar, em parceria com outras forças de segurança, aumentou o policiamento nas ruas e montou a operação 'Cidade Segura'. O 6º Batalhão da PM, que atende a região sul da capital, passou a contar com maior número de militares. "Reforçamos as viaturas de área. Praticamente dobramos o efetivo nas ruas atendendo ocorrências e patrulhando", disse o PM Ricardo Apolinário.

O secretário estadual de Segurança Pública, Wlademir Costa, disse que algumas das mortes são ligadas a brigas entre facções criminosas e outras são casos isolados. “Nesses casos de facções criminosas, observamos que começaram a crescer. E nesse crescimento já estamos monitorando e investigando, e esperamos dar uma resposta plausível para a sociedade”, comentou.

Dados do Ministério Público do Tocantins (MPTO) revelam que nos últimos dois anos ocorreram 196 pedidos de prisões de investigados por supostas participações em facções criminosas. Desse número, 58 foram negados pela Justiça.

Para o promotor de Justiça do estado de São Paulo, Luís Mileo, instituições não podem subestimar a atuação das facções, mas se unirem para combatê-las. “A comunidade fica refém dessas organizações [criminosas] e as organizações acabam ditando regras. [...] As pessoas têm receio de contrariar e isso faz com que nessas localidades acabam crescendo na criminalidade", afirmou.