Palmas
33º
Araguaína
34º
Gurupi
34º
Porto Nacional
33º
PAI DENUNCIOU

Polícia liberta mulher que era agredida e mantida em cárcere privado por ex

11 junho 2024 - 11h29

Na manhã desta segunda-feira, 10, policiais civis da 99ª Delegacia de Paranã, no sudeste do Estado, resgataram uma mulher de 20 anos que estava sendo mantida em cárcere privado por seu ex-companheiro, de 18 anos, o qual foi preso em flagrante pelos crimes de lesão corporal, no contexto de violência doméstica e também cárcere privado. 

SIGA o Portal O Norte nas redes sociais: FacebookTwitter e Instagram

O delegado responsável pelo caso, Wladmir Bezerra de Oliveira, informou que nesta segunda-feira, por volta das 10h, a Polícia Civil foi procurada pelo pai da vítima, o qual informou que sua filha estava sendo mantida em cárcere privado, em uma residência contra sua vontade pelo seu ex-genro. Com base no relato do homem, os policiais civis foram até o endereço mencionado e lá chegando encontraram a mulher, a qual apresentava ferimentos e hematomas pelo corpo. 

Conforme apurado pela 99ª DP, a vítima tinha se separado do autor há cerca de um mês e tinha voltado para a casa dos pais. “No entanto, o homem não aceitava o fim do relacionamento e passou a ameaçar a mulher. Inclusive, na última sexta-feira, cansada das ameaças, a mulher saiu da residência dos pais em direção à delegacia, justamente para registrar um Boletim de Ocorrência, momento em que o suspeito a interceptou, a puxou pelo braço e a levou a força para a residência em que eles moraram juntos e que a encontramos”, disse o delegado.

Ao ser ouvida, ela disse aos policiais que estava sendo mantida no lugar contra sua própria vontade e confirmou que já tinha sido agredida pelo suspeito, no último final de semana. 

Diante dos fatos, o indivíduo, que se encontrava no local, foi abordado e recebeu voz de prisão pelos crimes acima mencionados. O homem foi conduzido até a 15ª Central de Atendimento de Arraias e, após a realização dos procedimentos legais cabíveis, será recolhido à Unidade Penal Regional Local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. 

*SSP-TO