Palmas
33º
Araguaína
29º
Gurupi
32º
Porto Nacional
33º
"FOI CÚMPLICE?"

Dimas questiona Wanderlei sobre postura diante das investigações contra Carlesse

21 julho 2022 - 14h54Por Assessoria

Pré-candidato a governador pelo PL, Ronaldo Dimas lançou, nesta terça-feira, 19 de julho, um questionamento sobre a postura do atual governador Wanderlei Barbosa (Republicanos) na apuração de possíveis crimes e acusações que levaram ao afastamento em outubro de 2021 e posterior renúncia em março deste ano de Mauro Carlesse (Agir). “Se tinha tanta coisa errada assim, o que está lá agora foi cúmplice, consequentemente prevaricou e é um criminoso né? Por que que a gente não vê nenhuma auditoria instalada pelo governo atual que sucedeu se tinha tanta coisa errada? Para mim, a culpa é dele em conjunto. Se não for, se nada ocorreu ou se ocorreu e ele não viu, não participou, não viu? Mas como que não participou? Não viu? Está lá de vendas nos olhos esse tempo todo? Não dá pra gente se enganar!”, destacou Dimas.

A fala de Dimas foi feita durante discurso de lançamento da pré-candidatura a deputado federal de Kita Maciel pelo Podemos. O Podemos faz parte da aliança construída por Dimas para a eleição estadual de outubro e tem como meta eleger dois deputados federais.

Para Dimas, a situação vivenciada do Tocantins atualmente é de uma pessoa que quer ter o poder pelo poder para que o Estado permaneça do mesmo jeito. Inclusive, segundo o pré-candidato, são essas circunstâncias que acabam levando a gestores com mandato tampão e renúncias, fazendo com que o Estado nunca tenha uma administração planejada e sempre fique esperando um salvador da pátria. “Não se resolve os problemas com um passe de mágica. A gente só resolve problemas ao longo de um determinado tempo. Tem que planejar, tem que buscar os recursos, saber de onde vem e tem ainda aquela parte legal toda de licitar, organizar e aí sim realizar. A parte legal tem que ser totalmente respeitada, pois o dinheiro é de todos”, frisou o pré-candidato, alertando que as promessas fáceis do governo em pleno período eleitoral não vão poder ser concretizadas.

Dimas destacou a situação precária do sistema de saúde pública, da segurança (40 cidades do Tocantins não tem um policial militar sequer), a regressão na educação e os problemas de infraestrutura, com pavimentos de má qualidade se deteriorando. Para ele, o Orçamento Estadual, que neste ano deve passar dos R$ 12 bilhões, é suficiente para se fazer uma boa gestão, com planejamento e que possa entregar as melhorias que a população precisa. Ele lembrou que em Araguaína, com “muito menos dinheiro”, suas gestões (2013-2020) fizeram uma transformação completa na cidade, agora continuada pelo seu sucessor Wagner Rodrigues (Solidariedade).

“Lá tem muito menos dinheiro e funciona. Aqui não funciona porque não tem gestão. É só isso que está faltando. Seriedade, trabalho, planejamento, correr atrás, ter credibilidade, saber os caminhos de onde buscar e assim em todas as áreas, não é somente na saúde, é em todas as áreas. Eu tenho convicção que é possível sim realizar uma transformação no nosso Estado”, garantiu o pré-candidato.

Durante o discurso, Dimas também pediu o apoio de todos os presentes, que lotaram o Rosemberg Eventos, na futura campanha de Kita Maciel. Para o pré-candidato a governador, Kita tem todas as condições de se eleger e de destinar muitos recursos para melhorar a vida das pessoas em Gurupi e na Região Sul.