Menu
Busca domingo, 13 de junho de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
33ºmax
21ºmin
"TRANQUILO"

Governador Carlesse se manifesta sobre convocação para depor na CPI da Pandemia

28 maio 2021 - 10h11Por Redação

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PSL), disse em vídeo divulgados nas redes sociais que está tranquilo após a sua convocação para depor na CPI da Pandemia ser aprovada. De acordo com o gestor, todo dinheiro destinado pelo Governo Federal foi aplicado corretamente no combate à Covida-19.

Carlesse afirmou que atenderá prontamente a convocação da CPI e ressaltou que todos os gastos, principalmente os da saúde, estão sendo divulgados no Portal da Transparência. Carlesse ainda completa que o Tocantins foi o único estado que não passou por crises de desabastecimento de medicamentos, insumos e materiais durante a pandemia.

O estado do Tocantins está sendo administrado com qualidade, com segurança e com respeito ao dinheiro público, principalmente quando se fala do dinheiro que é para investir na saúde do povo", disse Carlesse.

Verbas federais

Desde o início da pandemia até a primeira quinzena de abril, o Tocantins já recebeu R$ 142 milhões para o combate à pandemia. Neste valor, estão incluídas doações de equipamentos de proteção e respiradores.

Para o enfrentamento do Coronavírus, foram criados 481 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19, sendo eles 266 clínicos e 181 UTIs.

Polêmica

Em junho de 2020, foi realizado a operação Personale a Polícia Federal (PF), que investigava um suposto superfaturamento na compra de 12 mil máscaras de proteção facial.

Foram gastos, ao todo, R$ 420 mil reais, sendo R$ 35 o valor unitário. Os valores antes da pandemia, variavam entre R$ 1,93 e R$ 3,64.

Segundo a Secretária de Estado da Saúde (SES), o próprio governo do Estado seria o autor da denúncia aos órgãos de controle, que investigaram o possível crime contra a economia popular, em função dos valores praticados.

Em março de 2020, a SES disse que havia tentado comprar emergencialmente máscaras N95 PFF2, mas que a empresa Científica Médica Hospitalar LTDA, que venceu o pregão eletrônico, solicitou o pedido de cancelamento da compra.

A justificativa era que os preços estavam no valor que eram praticados e que, devido a pandemia, houve um alto consumo de materiais médicos hospitalares e imprevisão de novas produções, resultando em reajustes.

AO VIVO