Palmas
26º
Araguaína
27º
Gurupi
28º
Porto Nacional
24º
ELEIÇÕES 2022

"Nunca desviei um real", se defendeu Carlesse ao anunciar pré-candidatura ao Senado

07 julho 2022 - 11h40Por Da Redação

Mauro Carlesse (Agir), anunciou nesta quarta-feira (06), sua pré-candidatura ao Senado Federal. A decisão é divulgada menos de quatro meses após ele renunciar ao cargo de governador do Tocantins, depois de se tornar alvo de investigações que apuram um escândalo de corrupção no Governo do Estado.

O anúncio de sua pré-candidatura aconteceu em um encontro estadual do partido realizado no centro de convenções Mauro Cunha, em Gurupi no Sul do Estado. 

Renúncia e Reviravolta

Antes do fechamento da janela partidária, o ex-governador se filiou ao novo partido visando disputar uma vaga no Senado nas eleições deste ano. Vale lembrar que Carlesse chegou a ter os direitos políticos suspensos pela Justiça Eleitoral em um processo que apura abuso de poder econômico e político, quando o governo estadual distribuiu milhares de cestas básicas em período eleitoral e supostamente favoreceu a prefeita Josi Nunes (União) nas eleições municipais de Gurupi.

No entanto, há duas semanas, em um novo julgamento, eles foram absolvidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na oportunidade em que anunciou a nova empreitada política nessa quarta, Carlesse defendeu que sua gestão era formada por uma equipe competente e que deixou o Estado com mais de R$ 2 bilhões em caixa. Ele relembrou em seu discurso, a situação em que recebeu a gestão do Governo em 2018, com diversas dificuldades e problemas com as contas públicas, que ele trabalhou para reequilibrar e recuperar a credibilidade do Estado.

Sobre sua saída do governo, Carlesse destacou que foi afastado sem provas, e classificou a ação como uma "manobra política de bastidores": “Nunca desviei um real de dinheiro público, o que fiz foi trabalhar para melhorar o Estado para gerar oportunidade para as pessoas, mas isso não é bom para quem não quer o bem do Estado”, frisou. 

Sobre a decisão de disputar a vaga ao senado, Carlesse disse que apesar das injustiças e perseguições que ele vem sofrendo, ele busca com isso se motivar para seguir na vida pública para conseguir concluir projetos interrompidos. 

Investigações e Desdobramentos

Alvo de duas operações da Polícia Federal em outubro de 2021, que apuravam esquema de corrupção no plano de saúde estadual e aparelhamento de um grupo que supostamente obstruía em investigações contra o governo, Carlesse foi afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O desdobramento disso resultou um processo de impeachment na Assembleia Legislativa do Tocantins. A proposta de abertura do processo chegou a ser aprovada, em primeiro turno, no plenário da AL, mas Carlesse decidiu renunciar antes da segunda votação.

As investigações contra o ex-governador continuam em andamento e o processo que antes estava no STJ foi enviado à Justiça Estadual após ele perder a prerrogativa do cargo. Além disso, a própria Secretaria de Segurança Pública do Tocantins montou uma força-tarefa para investigar os indícios apontados pela Polícia Federal.