Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
35ºmax
23ºmin

Vereadores discutem pré-requisitos para vagas de Conselheiro Tutelar

12 dezembro 2011 - 16h24

Da Redação


Na manhã desta segunda-feira, 12, os vereadores discutiram em segunda votação o Projeto de Lei de autoria do Executivo Municipal que cria um 2º Conselho Tutelar no Município de Araguaína.

Durante o debate que foi acompanhado por Conselheiros do Município e por jovens da igreja Adventisa do 7º Dia, o vereador Divino Bethânia Júnior (PSD) apresentou uma emenda ao projeto, solicitando a retirada de um dos pré-requisitos para um cidadão assumir a vaga de Conselheiro na entidade.

Bethânia propôs a retirada da avaliação dos candidatos mediante a realização de provas teóricas sobre conhecimentos gerais e noções básicas de português, argumentando não ser necessário tais conhecimentos para tornar apto um Conselheiro.

Na contramão, o vereador Gerônimo Cardoso (PMDB) questionou a emenda destacando a necessidade de profissionais capacitados para assumir o cargo. “A minha preocupação é ter profissionais preparados para atender as necessidades do órgão, aprimorar os serviços prestados à sociedade e quando eu vejo retirar a exigência de conhecimento, eu me posiciono contra”, disse Cardoso que teve o aval do vereador Aldair da Costa Gipão (PR).

O presidente da Câmara, Elenil da Penha (PMDB), também participou da discussão, elogiou a iniciativa de Bethânia e direcionando as palavras a Gerônimo, insinuou que o posicionamento do vereador era contraditório, dando como exemplo a discussão nacional em torno do diploma de Jornalismo ser aprovado pelo Senado. “De acordo com o Senado, hoje pra exercer a profissão de jornalista teria que ter diploma de Jornalismo, ou seja, nenhuma matéria poderia ser feita sem essa formação superior. E aí?”, disse Elenil reportando a fala a Gerônimo que hoje apresenta um programa de TV local.

Rebatendo a interrogação de Elenil, o vereador responde: “Ninguém pode assinar como jornalista sem ser, mas pode ser apresentador, repórter... não pode é assinar sem ser jornalista”, disse Gerônimo completando: “O cargo de Conselheiro não está pedindo formação superior, só questões básicas de conhecimento, saber usar um computador, pesquisar na internet...”.

Subtendendo ainda a contrariedade no discurso de Gerônimo, Elenil questiona: “Viu que quando aperta o sapato da gente a gente se sente sufocado?”

Após discussões e não tendo os parlamentares entrado em um consenso, Bethânia retirou a emenda de votação. O Projeto foi aprovado por unanimidade sem esta alteração e segue para a terceira e última apreciação antes de ser encaminhando para ser sancionado pelo Executivo Municipal.
 

AO VIVO