Palmas
30º
Araguaína
30º
Gurupi
28º
Porto Nacional
30º
REPERCUSSÃO

ISAC rebate acusações de médica demitida sem aviso prévio: "decisão estritamente profissional"

18 janeiro 2024 - 17h50Por Da Redação

O Instituto Saúde e Cidadania (ISAC), responsável pela gestão do hospital se manifestou rebatendo as acusações feitas por uma das principais especialistas de UTI Pediátrica em Araguaína, Dra Moabe Saraiva, que em reportagem ao Portal O Norte falou sobre a sua demissão repentina do quadro de profissionais da unidade. A médica apontou motivação pessoal por parte da diretora técnica, Elena Medrado. [Confira a nota na íntegra no final da matéria]

Segundo a nota encaminhada ao Portal O Norte, a decisão foi tomada pela direção, após deliberação pelo comitê de ética institucional, com base em critérios estritamente profissionais, visando assegurar a eficiência dos serviços prestados à população e acrescentou que "a instituição preza pelo respeito mútuo entre seus colaboradores e busca garantir e busca garantir um ambiente harmônico e propício ao desenvolvimento das atividades".

A ISAC garantiu ainda que a decisão não implica em qualquer juízo de valor sobre sua competência profissional.

Ainda em nota, o ISAC afirma que "rejeita veementemente as alegações infundadas feitas pela médica", destacando que a instituição pauta suas ações pela excelência e respeito aos padrões técnicos, éticos e legais da medicina. 

Fializando o esclarecimento, o ISAC alega que diferente do relatado pela Pediatra, nenhum profissional solicitou o desligamento após a sua saída e o atual quadro da equipe da UTI Pediátrica segue sem prejuízo nos atendimentos à população. 

ENTENDA O CASO

Moabe Saraiva, conversou com nossa reportagem e disse que no último dia 12, foi notificada pela direção sem aviso prévio de que seria demitia. Segundo ela, o Instituto Saúde e Cidadania (ISAC), responsável pela gestão do hospital alegou conflitos internos entre Dra Moabe e a Diretora Técnica. 

A Pediatra relatou ainda, que com sua saída, outros especialistas que atuavam na equipe coordenada por ela decidiram pedir demissão da UTI também por considerarem injusta a medida tomada pela direção do ISAC. Um deles, chegou a confirmar por telefone à nossa redação sobre a sua decisão de se desligar da unidade também, mas não comentou mais detalhes sobre o assunto. Dra Moabe adiantou que integrantes da equipe estariam inclusive apenas cumprindo o tempo determinado para a efetivação de suas saídas. 

ESPECIALISTA

Com 10 anos de experiência na área, Moabe Saraiva veio de Brasília para Araguaína à convite do ISAC há quatro anos e meio, quando deram início ao processo de instalação, treinamento da equipe que atuaria no setor de UTI Pediátrica do HMA e ela participou desse trabalho desde o início. 

No HMA, a médica era responsável por coordenar os trabalhos de equipe acompanhando diariamente a programação de tratamento dos pacientes.

Confira abaixo a nota de esclarecimento na íntegra: 

Nota de Esclarecimento

O Hospital Municipal de Araguaína - HMA, vem a público esclarecer que a não renovação do contrato com a médica Moabe Saraiva Moutinho ocorreu em virtude da busca contínua pela preservação de um ambiente de trabalho saudável e harmônico para todos os colaboradores do hospital. A decisão foi tomada pela direção, após deliberação pelo comitê de ética institucional, com base em critérios estritamente profissionais, visando assegurar a integridade e a eficiência dos serviços prestados à população. A instituição preza pelo respeito mútuo entre seus colaboradores e busca garantir um ambiente harmônico e propício ao desenvolvimento das atividades. 

Ressaltamos que a opção pela não renovação do contrato da referida médica, prerrogativa institucional do HMA, não implica qualquer juízo de valor sobre sua competência profissional. A decisão foi pautada unicamente na necessidade de manter um clima de cooperação e respeito no ambiente hospitalar. 

Além disso, a Direção do HMA rejeita veementemente as alegações infundadas feitas pela médica. Destacamos que a instituição pauta suas ações pela excelência e respeito aos padrões técnicos, éticos e legais da medicina. 

Por fim, cumpre esclarecer que, diferente do quanto relatado, nenhum profissional solicitou o desligamento após a saída da profissional e o quadro atual segue sem prejuízo nos atendimentos à população. 

Atenciosamente, Direção Geral Hospital Municipal Araguaína