Menu
Busca quarta, 16 de outubro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
34ºmax
23ºmin
FIQUE DE OLHO!

Araguainenses podem cair em suposto golpe de empresa suspeita de estelionato

10 outubro 2019 - 14h09Por Redação

O Portal O Norte recebeu a denúncia de que responsáveis por um programa de qualificação profissional estariam possivelmente tentando enganar interessados em fazer cursos profissionalizantes na cidade.

O nome é Programa Nacional de Formação e Empregabilidade (PRONAQUE) que aparentemente parece ser um programa do Governo Federal. Com a banderia nacional no fundo e o uso de logotipo semelhante ao do Ministério da Educação e Cultural (MEC).

De acordo com a denúncia, o suposto “golpe” funciona da seguinte maneira: os interessados são atraídos por um anúncio no Facebook onde há um link para inscrição, onde as cores padrões remetem ao programa Pronatec do Governo Federal, no entanto, o nome que aparece no anúncio é PRONAQUE.ORG. Em sua página no Facebook é possível verificar a “oferta” de cursos gratuitos e 100% presenciais em diferentes cidades e Estados do país. 

Em Araguaína a lista contém 24 cursos que estão sendo oferecidos e a chamada pede que os interessados cliquem em um link para se inscrever. Uma leitora do Portal O Norte que preferiu não se identificar, disse que clicou na opção do link e recebeu a seguinte mensagem via WhatsApp:

A mensagem é assinada por Francisco Resende Machado apresentando-se como Diretor Geral do PRONAQUE e em seguida a informação que aparece é que a mensagem é automática e não deve ser respondida. 

Apesar de parecer ser governamental, o programa é de iniciativa privada. Desconfiada e lendo uma das partes da mensagem que fala em isenção total "Exceto suporte pedagógico", a leitora interessada afirma que fez o cadastro mas também decidiu fazer uma busca rápida na web e logo se deparou com a notícia de um provável golpe envolvendo o mesmo programa, na cidade de Franca no interior de São Paulo, em que o anúncio de cursos gratuitos foi replicado nas redes sociais, contudo a palavra que remete à gratuidade seria apenas propaganda enganosa para atrair as pessoas até o local de matrícula. Segundo a reportagem do site Jornal de Franca, ao chegar até o local, os interessados descobriam que, para fazer os tais cursos, era preciso assinar um contrato com a empresa com valores cobrando mensalidades, material e apoio técnico, valores que chegavam a ultrapassar R$ 200 reais por mês dependendo do curso. 

Em Araguaína o processo de inscrições está marcado para acontecer hoje a partir das 16 horas até as 19 horas no Hotel Relicário. A divulgação da lista de Araguaína na fanpage do Pronaque no Facebook, foi publicada no último dia 26 de setembro:

O Portal O Norte tentou entrar em contato com os reponsáveis pelo programa através dos números repassados pela denunciante, mas eles caem direto na caixa de mensagens e não retornam às mensagens via WhatsApp. 

O site também entrou em contato com o Relicário para esclarecimentos sobre o evento que anuncia o endereço do hotel. A administração confirmou que um representante da empresa apenas alugou o auditório para a realização do processo de inscrições. 

Ao Vivo