Menu
Busca domingo, 15 de setembro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
37ºmax
23ºmin
TOCANTINS

Dia dos Pais poderá movimentar mais de R$ 14 milhões em vendas

07 agosto 2019 - 12h08

O dia dos pais, comemorado no próximo domingo, configura-se como a primeira data comemorativa mais importante para o comércio no segundo semestre. De acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é estimada uma alta no país de 2,1%, já descontada a inflação. No Tocantins, os dados também revelam um acréscimo de comparado ao ano passado. A expectativa para este ano é que haja uma alta de 3,9%.

Com isso, devem ser movimentados R$ 5,6 bilhões no varejo brasileiro, e no Tocantins, essa movimentação financeira deve ficar em torno de R$ 14 milhões. Para o presidente do Sistema Fecomércio, Itelvino Pisoni, neste segundo semestre poderá haver melhoria no cenário econômico. “Com algumas medidas tomadas pelo governo federal em prol da retomada da economia, pode ser que haja uma reação positiva no consumo neste semestre. Nós esperamos que este aumento no Dia dos pais aqueça a nossa economia que tem sentido tanto ao longo desses anos”, explicou.

Além desse crescimento nas vendas o presidente da CNC, José Roberto Tadros, alerta ainda sobre a criação de vagas de trabalho. “O varejo está apostando numa segunda metade de ano mais favorável, decorrente de medidas de estímulo à economia. Por isso, a expectativa este ano é que sejam efetivados 5% dos trabalhadores temporários, a melhor nos últimos cinco anos para a data”, afirma Tadros. A estimativa da CNC é que sejam gerados no país 11,9 mil postos de trabalho voltados exclusivamente para a data. No ano passado, o setor demandou 9,6 mil trabalhadores temporários.

Segmentos em destaque – Dados Nacionais

A pesquisa aponta que os segmentos de hiper e supermercados serão o destaque positivo da data, com 40,4% do total de vendas, o equivalente a R$ 2,1 bilhões. Em seguida, vêm o ramo de artigos de uso pessoal e doméstico, como utilidades para o lar e eletroeletrônicos (R$ 829,1 milhões ou 15,6% do total), e o de vestuário e calçados (R$ 683,4 milhões ou 12,9% do total). 

Ao Vivo