Menu
Busca quarta, 02 de dezembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
34ºmax
23ºmin
CASO CELTINS

Grevistas fazem passeata e paralisam atividades permanentemente

21 julho 2011 - 12h28

Daniel Lélis
Da Redação


Os funcionários da Selvat e da Enecol, empresas terceirizadas da Companhia de Energia Elétrica do Tocantins (Celtins), realizaram na manhã de hoje, 21, passeata de protesto pelas ruas de Araguaína contra o não atendimento por parte da concessionária das reivindicações do Steet (Sindicato dos Trabalhadores em Eletricidade do Tocantins).

Em entrevista ao Portal O Norte, Celma Moreira, uma das representantes do Steet, informou que numa assembleia realizada na terça-feira, 19, os trabalhadores decidiram paralisar as atividades por tempo indeterminado. “Num primeiro momento, a ideia era paralisar somente dois dias, contudo, com a recusa da Celtins em atender as solicitações dos trabalhadores, decidimos cruzar os braços por tempo indeterminado”, contou ela.

Ao todo, mais de 600 trabalhadores, 88 só em Araguaína, continuam em greve. Eles cobram aumento salarial em torno de 15%, assistência médica para os colaboradores, vale alimentação e melhorias nas condições de trabalho.

Passeata
De acordo com Moreira, a passeata é mais uma iniciativa do sindicato para pressionar a Celtins a rever o contrato com as terceirizadas, uma vez que, afirmou ela, nos moldes atuais, é impossível as empresas que prestam serviços para a companhia conceder os benefícios pleiteados. Segundo ela, a concessionária não tem mostrado interesse algum de negociar com os funcionários.

O que diz a Celtins
No início da semana, a concessionária informou que não irá negociar com as terceirizadas porque o vínculo empregatício dos trabalhadores que paralisaram as atividades é com as prestadoras de serviços. Segundo a companhia, os contratos feitos com as empresas estão vigentes e os serviços essenciais não foram afetados.

AO VIVO