Menu
Busca terça, 10 de dezembro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
30ºmax
22ºmin
SOLIDARIEDADE

ONG de apoio aos portadores de cancêr sofre com falta de investimento público

04 fevereiro 2011 - 16h56

Da redação
 

Hoje é o Dia Mundial do Câncer e a equipe do Portal O Norte preparou uma reportagem especial apresentado um dos mais importantes trabalhos filantrópicos realizados na cidade através da Associação de Voluntários e Amigos dos Portadores de Câncer em Araguaína (AVAPCA), que há quatro anos tem se mobilizado em apoiar as famílias e pacientes em tratamento no município. Em entrevista, o fundador e presidente da AVAPCA, José Armando da Silva, explica detalhes sobre o trabalho social efetivado pela Organização não governamental (ONG) e as dificultades encontradas em realizar um trabalho com excelência e respeito ao cidadão.

Com o lema “Quem tem câncer tem pressa” a AVAPCA foi fundada em 26 de março de 2007, e nasceu com o objetivo de dar suporte econômico, psicológico e espiritual para pessoas portadoras de câncer, uma doença que agride muitas vezes violentamente o paciente em amplas dimensões. “A idéia surgiu não a partir de uma situação pessoal ou familiar. A única certeza que eu tenho é de que, qualquer um de nós é suscetível à doença e acredito que é possível aprendermos pelo amor e não somente pela dor”, justifica José Armando. Ele explica que, quando a pessoa descobre que tem câncer fica extremamente sensibilizada e tanto a que foi acometida pela doença quanto a família necessitam de um suporte principalmente pisicológico e muitas vezes econômico, é a partir daí que o trabalho dos voluntários da associação representam um importante apoio para os pacientes.

Assistência Social
Durante os quatro anos desde sua criação, a associação prestou assistência a aproximadamente a 2.500 famílias de portadores de câncer e atualmente cerca de 200 famílias são assistidas pela instituição. Elas recebem benefícios como cestas básicas, roupas, calçados, medicamentos, ajudas de custo para hospedagem e até mesmo passagens para a efetivação do tratamento. “Algo muito importante de ser observado é que cada vez mais cresce o número de pessoas que precisam desse suporte econômico, assim, a demanda aumenta mas infelizmente nossa disponibilidade de recursos pra amparar essas pessoas não tem crescido paralelamente”.

O presidente da ONG explica que existe uma grande necessidade da participação do Município em realizar políticas públicas que possam contribuir com a realização de um trabalho efetivo da ONG. Ele afirma que a organização tem buscado parcerias com o Poder Municipal mas até o momento não receberam nenhuma resposta de comprometimento com a causa: “Fomos a primeira comissão a ser recebida pelo atual prefeito Valuar Barros (DEM), no entanto, não foi assumido nenhum compromisso e não conseguimos avançar em nada, não tivemos nenhum retorno da administração atual”.

Armando ainda diz que ocasionalmente a ONG recebe pessoas encaminhadas pela prefeitura que pedem assistência da AVAPCA. “Pessoas vem aqui encaminhados pela prefeitura, pedir medicamentos, cadeiras de rodas e nós damos a assistência devida ao cidadão, fazemos nossa parte. O que na verdade gostaríamos é de contar com o envolvimento de fato do Poder Público. Infelizmente, até hoje não recebemos recursos públicos para contribuir com nossas ações” e completa “Precisamos que os gestores manifestem compromisso com a causa, até mesmo porque eles foram eleitos pra representar e defender os direitos dos cidadãos”, diz.


Trabalho Coluntário
Atualmente a associação conta com o apoio direto de seis voluntários que se revezam em atividades de captação de recursos, catalogação de doações, comercialização de produtos doados para arrecadação de fundos, para subsidiar custos, distribuição de cestas básicas, entre outros. “Apesar de ainda termos uma pequena adesão de voluntários nosso trabalho é realizado com bastante rigor e responsabilidade, mas temos necessidade de mais pessoas para fazer esses trabalhos, uma vez por semana, por mês qualquer ajuda é bem vinda e estamos prontos pra receber que estiver disposto a ajudar”.

Projeto de Acolhimento aos Pacientes
O presidente da AVAPCA também apontou em entrevista sérias dificuldades relacionadas ao acolhimento de portadores de câncer e familiares que os acompanham para fazer tratamento na cidade de Araguaína. Segundo ele, muitos não têm condição financeira de permanecer na cidade. Tendo em vista este fato, a instituição tem se mobilizado para e execução de um projeto denominado Centro de Excelência pra Acolhimento de Pacientes Portadores de Câncer: “Temos a pretensão de oferecer um local humanamente digno onde possa dormir minimamente confortável e ter uma alimentação digna de sua necessidade orgânica”, explica.

A associação já tem disponibilizado o local onde será construído o Centro, que é localizado no Bairro JK e deverá iniciar a construção ainda neste primeiro semestre. Apesar da força de vontade, Armando aponta várias dificuldades encontradas para realizar o projeto. “Já temos alguns materiais para iniciar a obra, mas ainda é muito pouco, o valor estimado do projeto é de R$ 7 milhões de reais, temos nos esforçado bastante buscando mecanismos e apoio para a execução, mas acredito que se tivéssemos o apoio do Poder Público tudo seria menos complicado” e finaliza a entrevista dizendo: “Acredito que a vontade é o pressuposto inicial do fazer, então essa associação é uma demonstração clara de que quando a gente quer fazer a gente faz, dessa forma, trabalhamos dentro da perspectiva da esperança e estamos abertos e carentes esperando a sensibilidade por parte do Poder Público e da própria comunidade".



Os interessados em contribuir de alguma forma com o importante trabalho realizado pela instituição AVAPCA pode entrar em contato com seus colaboradores pelo site www.avapca.com.br ou pelos telefones: (63) 3414-0033 e 3412-8001.






AO VIVO