Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
37ºmax
21ºmin
AJUDE!

Enfrentando câncer pela segunda vez, mãe pede ajuda para continuar tratamento: "pela minha filha"

02 setembro 2019 - 16h43Por Redação

“Só quero voltar a viver como antes e cuidar da minha filha”, foi assim que começou falando com nossa reportagem, uma mulher de 33 anos que mora em Araguaína e luta pela segunda vez contra um câncer. Ela precisa muito de ajuda financeira para o tratamento e resolveu abrir o coração para contar a dura realidade que enfrenta desde o ano passado.  

Elissandra Dias dos Santos, nasceu em Tucumã (PA) mas mora há 12 anos em Araguaína, é operadora de caixa e vive sozinha com a filha de 10 anos, Eduarda Dias Souza. O drama da jovem mãe começou em meados do ano passado quando foi diagnosticada com um câncer de mama: “Foi um choque muito grande principalmente porque tinha perdido minha mãe muito recente para um tumor na cabeça. Foram três anos cuidando dela, fizemos o possível mas no dia 5 de dezembro de 2017 ela se foi”, lamenta. Dona Maria Lucia Pereira Dias morreu aos 55 anos deixando 6 filhos. 

Elissandra ao lado da mãe quando ela estava em tratamento contra um tumor no cérebro. (Arquivo Pessoal)

Seis meses depois de perder a mãe, Elissandra começou uma nova luta, dessa vez por sua vida: “Recebi o diagnóstico no dia 28 de junho de 2018. Foi muito difícil mas não me entreguei,  fiz todos os tratamentos que eram disponíveis para o meu tipo de tumor: quimioterapia,  cirurgia e por último a radioterapia”, disse. 

O tratamento terminou em abril do ano passado: “Foi uma vitória muito grande, eu estava animada e me recuperando só que há dois meses um novo diagnóstico me fez perder o chão.  Apareceu em mim uma metástase na clavícula, que descobri através de alto exame em casa. Fiz uma biópsia que acabou confirmando o que eu mais temia”, lembra. 

O câncer em Elissandra voltou ainda mais agressivo: “Não foi fácil aceitar essa realidade, mas apesar disso me reergui mais uma vez, não tenho intenção de desistir e vou buscar forças a cada dia pra lutar, lutar pela minha filha porque quero ver ela crescer, quero cuidar dela”, disse emocionada. 

Afastada do trabalho e mesmo recebendo auxílio, Elissandra tem dificuldades para manter seu tratamento: “Agora com esse último diagnóstico, até eu obter a confirmação de um novo câncer, estava gastando em média cerca de R$ 1.100 reais por mês. Além disso, exames e consultas por fora com especialistas. Tudo isso é bem caro e pesado pro meu orçamento”, diz ela afirmando que tentou fazer o acompanhamento pelo SUS: “Mas a demora é muito grande e tempo pra mim é uma questão de vida”.

Apesar dos desafios, cumprindo a promessa de continuar lutando, há duas semanas ela decidiu viajar até Barretos (SP), para tentar uma vaga no Hospital do Câncer que é referência nacional em tratamentos: “Não foi nada fácil mas consegui. Só que como iam demorar os exames e meu acompanhante nao podia ficar mais, eu voltei pra casa e retorno nesta terca-feira (03)”.

Agora Elissandra está preocupada com os custos da viagem, estadia, alimentação. Por conta da dificuldade financeira, com a ajuda de uma amiga, ela decidiu criar uma vakinha online para conseguir arrecadar dinheiro para ajudar no tratamento. O valor estimado é de R$ 5 mil reais. “Faço isso porque tenho esperança de conseguir sobreviver e aproveitar por mais tempo minha filha. Não posso desistir”, repetiu. 

Elissandra lembra que a primeira vez que enfrentou o câncer foi muito difícil não só pra ela mas para a filha também. Só que agora a situação mudou:

Na primeira vez Eduarda acompanhou a queda de cabelo, os efeitos da terapia e apesar de ter sido muito doloroso isso, ela estava perto de mim, mas agora vamos ter que ficar longe uma da outra porque não posso levá-la para Barretos e tá sendo difícil administrar isso na cabecinha dela”.


Elissandra ao lado da filha Eduarda. (Arquivo Pessoal)

Mesmo diante da dor e sofrimento, a jovem mãe abraça a esperança de ter sua vida normal de volta: “Quero voltar a ter disposição, sair com minha filha, trabalhar, enfim voltar a fazer com prazer as coisas que eu amo. Quero viver e vou fazer o que for preciso”. 

Para ajudar financeiramente no tratamento de Elissandra basta clicar no link a seguir e ir direto para a vakinha online

AO VIVO