Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
38ºmax
22ºmin
TOCANTINÓPOLIS

Casal de traficantes é preso pela Polícia Civil

31 maio 2011 - 14h56

A Polícia Civil de Tocantinópolis prendeu em flagrante, por tráfico de drogas, na manhã de segunda-feira, 30, Francisco das Chagas Santana Almeida, conhecido por “Latinha” ou “Chaga”, 38 anos, e sua esposa, Maria Alice Rodrigues Viana, 25 anos.

O casal estava sendo investigado, já que denúncias anônimas apontavam para uma grande movimentação de pessoas estranhas na casa deles, sinalizando para uma suposta “boca de fumo”. Depois das denúncias, os agentes de polícia iniciaram um contínuo trabalho de vigilância, seguindo os suspeitos e procurando indícios para confirmar a atuação criminosa.

Após alguns meses de averiguação, o Juiz de Direito local concedeu um Mandado de Busca e Apreensão na residência do casal. Os policiais aguardaram o momento certo para efetuar a Ordem Judicial.

Na manhã do último dia 30, por volta 10h, os agentes observaram que “Latinha”, em atitude suspeita, saiu de casa na moto em que usava para vender pedras de “crack”. Justamente o momento em que os policiais precisavam para agir. Começou então uma perseguição pelas ruas de Tocantinópolis, já que “Latinha” não parou ao ser abordado e empreendeu fuga.

Os policiais o perseguiram até próximo à garagem da prefeitura. Francisco das Chagas parou a moto XR 250 Tornado, mas antes, foi visto se livrando de um objeto. Suspeitando que ele se desfez da droga, os agentes retornaram ao local e encontraram um embrulho com substância semelhante ao “crack”.

Confirmada a suspeita, aproveitaram para cumprir o Mandado de Busca e Apreensão. Maria Alice Rodrigues Viana estava em casa e ao perceber a chegada da polícia, correu para tentar se livrar do flagrante. Entretanto, foi rapidamente seguida por um policial civil que a viu tentando se livrar do entorpecente, jogando-o pela janela.

Foram apreendidos na casa: dinheiro em cédulas de pequeno valor; balança de precisão digital para pesar a droga; objetos para enrolar e empacotar as pedras, deixando-as prontas para o comércio; vários aparelhos celulares, munições para arma de fogo e objetos suspeitos de serem furtados. Ao todo foram encontrados 46g em pedras de “crack”. (Da Ascom SSP)

AO VIVO