Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
30ºmax
22ºmin
PRESENTE E FUTURO

Confira 6 habilidades para aprender e se destacar no mercado de trabalho

04 junho 2020 - 08h13

Carros que dirigem sozinhos, inteligência artificial, computação quântica: muitas tecnologias que há pouco tempo estavam restritas a obras de ficção científica ou filmes hollywoodianos já são hoje uma realidade. O Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês) considera que estamos à beira da Quarta Revolução Industrial. 

À medida em que o mundo se prepara para abraçar a Indústria 4.0, um conceito que engloba automação e tecnologia da informação, os locais de trabalho também estão se adaptando. Assim como outras revoluções industriais transformaram o conjunto de habilidades necessárias para os trabalhadores, espera-se o mesmo desta revolução. Nos últimos cinco anos, segundo o WEF, 35% das competências vistas como essenciais já estão ultrapassadas.

Uma pesquisa da organização, “O Futuro dos Empregos”, analisou as estratégias de recrutamento e competências para o futuro. O estudo perguntou aos chefes de recursos humanos e diretores de estratégia dos principais empregadores globais o que significam as mudanças atuais e o futuro das profissões. De acordo com o WEF, estas são algumas das principais habilidades que o mercado de trabalho deve valorizar nos próximos anos. 

Criatividade

As máquinas certamente nos ajudam a chegar mais rápido aonde queremos, mas elas não conseguem ser tão criativas quanto os seres humanos – pelo menos por enquanto. Com a avalanche de novos produtos, tecnologias e formas de trabalho, os trabalhadores terão que se tornar mais criativos para se beneficiarem das mudanças. Mas criatividade não é algo exclusivo de profissões mais artísticas, como músicos e escritores. 

Todos aqueles que conseguem conectar informações aparentemente não relacionadas e juntar todos os pontos para criar algo 'novo' são pessoas criativas. Não existe uma fórmula para aprender a resolver problemas de forma inovadora, mas é possível desenvolver a criatividade ao se exercitar regularmente a curiosidade, e isso pode ser feito de várias maneiras.  

Demanda é cada vez maior por funcionários capazes de analisar situações e tomar decisões. (Foto por John Schnobrich, Licença Unsplash)

Julgamento e tomada de decisão

A capacidade de analisar situações complexas e tomar decisões com base nas evidências é outra habilidade cada vez mais valorizada no mercado de trabalho. Isso faz sentido ao se considerar o volume de dados que as organizações acumulam hoje em dia e a crescente demanda por funcionários que possam analisar números, encontrar insights acionáveis e usar as informações para informar a estratégia da empresa.

Para aqueles que desejam melhorar sua capacidade de julgamento e tomada de decisão, a mesa de poker pode ser uma boa aliada, já que oferece uma excelente oportunidade de praticar essa habilidade regularmente ante desafios reais. Esse esporte da mente exige que seus jogadores façam constantemente a análise de consequências a cada tomada de decisão com base na sua própria mão e na dos oponentes – precisando decidir rapidamente o que fazer durante as partidas.

Inteligência emocional

Outra área em que os seres humanos têm vantagem sobre as máquinas é na inteligência emocional – a capacidade de perceber, controlar e expressar nossas emoções e interpretar as emoções dos outros. Enquanto houver pessoas na força de trabalho ela continuará sendo importante, uma vez que impacta todas as interações dos funcionários uns com os outros.

Além disso, esta é uma habilidade social particularmente importante para os gestores e líderes do amanhã. Para desenvolver uma maior inteligência emocional, a dica é começar a analisar seus próprios comportamentos, conhecer quais são seus pontos fortes e fracos e aprender a trabalhar suas emoções negativas. 

Capacidade de negociação

Trabalhadores e gestores precisam negociar em quase todos os aspectos da vida profissional, desde termos de contratos a cronogramas de projetos até aumentos de salários. Chegar a um acordo mútuo sem brigas ou discussões é um elemento-chave da capacidade de negociação. Porém, muitas pessoas não conseguem chegar a um acordo porque não contam com essa habilidade. Negociar requer clareza de objetivos, saber apresentar bem os argumentos e debater ideias de forma construtiva.

Isso, queira ou não, se aprende com a prática. Quem deseja aprimorar suas habilidades de negociação pode aprender muito com as técnicas do poker. Isso porque o esporte ensina os jogadores como ler cuidadosamente diferentes situações durante as partidas, ter uma ideia clara de quando e quanto apostar, bem como o controle das emoções, sendo uma boa oportunidade de aprendizado. 

Capacidade de negociação é uma habilidade que deve ser cada vez mais valorizada. (Foto por Free-Photos, Licença Pixabay)

Independentemente de quão avançada a inteligência artificial se torne e do número de postos de trabalho que serão automatizados, os funcionários continuarão sendo o bem mais valioso de uma empresa. Portanto, no futuro, é vital que os gestores e líderes de equipe saibam como motivar suas equipes, maximizar sua produtividade e responder às suas necessidades. Ser um grande gerente tem muito a ver com ter inteligência emocional, saber delegar e desenvolver um estilo próprio de gestão.

A coordenação com outros funcionários é um aspecto especialmente importante da gestão de pessoas, já que o sucesso de uma equipe depende muito da cooperação entre seus membros. Afinal, um time não consegue atingir suas metas quando depende dos esforços de uma única pessoa. Portanto, para liderar equipes e alcançar objetivos comuns, é preciso dominar essa habilidade e isso necessariamente começa com entender os outros e para só depois se fazer entender.

Pensamento crítico

Não faltam informações e dados à disposição na internet, mas indivíduos com a capacidade de discernir quais informações são confiáveis em meio a uma enorme nuvem de desinformação, como fake news, propaganda e outras serão cada vez mais fundamentais para o sucesso das organizações. 

Ter pensamento crítico significa ser capaz de avaliar objetivamente uma informação e decidir como ela deve ser usada por uma organização – ou mesmo se deve ser utilizada em primeiro lugar. Os funcionários que têm a mente aberta e são capazes de julgar a qualidade das informações serão cada vez mais valorizados pelo mercado de trabalho.

A chegada da Quarta Revolução Industrial vai impactar muitas indústrias e tornar muitos empregos obsoletos, mas isso não necessariamente significa algo ruim, já que muitos novos postos e profissões serão criados. Investir em habilidades que ainda serão relevantes mesmo depois de cinco ou dez anos é um bom passo para garantir seu lugar no mercado de trabalho do futuro.

Qual sua especialidade?

Publique seu conteúdo aqui na editoria Consulta com Especialista do Portal O Norte.

Ligue (63) 99958-5851 ou fale conosco pelo WhatsApp (63) 99292-6165

Todas as informações e opiniões contidas neste artigo, seja em texto ou emvídeo, são de total responsabilidade de seus autores e não expressam,necessariamente, as posições do Portal O Norte.

AO VIVO