Menu
Busca quarta, 27 de janeiro de 2021
(63) 99958-5851
Araguaína
32ºmax
22ºmin
JUSTIÇA

Homem é condenado há 20 anos de prisão por dois crimes em boate de Araguaína

25 novembro 2020 - 15h02Por MP - TO

Um homem foi condenado, nesta terça-feira (24), a 20 anos de prisão por assassinato e tentativa de homicídio ocorrido em uma boate de Araguaína, no norte do Estado.

O crime ocorreu em 2019 e segundo as investigações, foi motivado por questões relacionadas a facções criminosas rivais. O condenado, identificado como Carlos Vinicius Alves dos Santos, conheceu uma de suas vítimas, Rivaldo Luís Castro dos Santos, enquanto os dois cumpriam medida socioeducativa como adolescentes infratores no Centro de Internação Provisória (CEIP-Norte), em Santa Fé do Araguaia.

Na época, os dois tiveram desentendimentos relacionados às facções criminosas que eles supostamente pertenciam. Carlos dos Santos dizia que era ligado ao Primeiro Comando da Capital, enquanto Rivaldo Luís andava com integrantes do Comando Vermelho.

No dia do crime, Carlos começou a encarar o antigo desafeto e, percebendo essa situação, Rivaldo Luís chamou os amigos para irem embora do local. Os amigos não foram convencidos e permaneceram no local.

Em determinado momento, o assassino se aproximou da vítima, sacou uma arma e começou a disparar contra o desafeto. Nesse momento, o irmão de Rivaldo, Welton Batista, se colocou na frente dos disparos para protegê-lo.

Welton Batista não resistiu aos ferimentos e morreu no local, já seu irmão, apesar de ter sido atingido no peito, resistiu aos ferimentos e sobreviveu. Depois que atirou nos dois, o assassino saiu comemorando atirando para o alto e falando palavras de ordem de sua facção.

Para o Ministério Público, os crimes foram praticados por motivo torpe, consistente no sentimento de ódio e revanche em contexto de rivalidade entre facções criminosas. Além disso, foram cometidos mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas, pois os irmãos estavam desarmados e foram surpreendidos com uma série de disparos de arma de fogo, sem que pudessem reagir.

Os jurados consideraram Carlos Vinícius culpado pelo crime de homicídio por motivo torpe e mediante uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, além de tentativa de homicídio por motivo torpe.

Ele está, atualmente, preso na Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota, onde aguardava o julgamento cumprindo prisão preventiva. Como a Justiça já determinou a execução da pena, Carlos Vinícius permanecerá preso mesmo que recorra da decisão.

 

AO VIVO