Menu
Busca segunda, 23 de novembro de 2020
(63) 99958-5851
Araguaína
30ºmax
22ºmin
DENÚNCIA

Ex-repórter é denunciado por desacatar funcionário público

08 julho 2011 - 12h03

De acordo com a delegada plantonista da Central de Flagrante, Zilvane Messias Oliveira Araújo, o suposto desacato foi dirigido a um médico e uma enfermeira que atendem no Pronto Atendimento em Gurupi, na tarde desta quinta-feira, 07, quando Joatan tentava ser atendido. Para a delegada, o médico alegou que Joatan estava aguardando atendimento e uma senhora passou mal e, por esta razão, teve que atendê-la antes do ex-repórter que ficou indignado, deu um murro na porta, xingou o médico e uma enfermeira e, diante das tais agressões, o médico teve que acionar a polícia.

Em entrevista ao Atitude, Joatan Mariano, disse que não estava se sentindo bem, saiu do seu Lavajato e foi procurar atendimento no Pronto Atendimento. “O médico saiu para atender uma mulher que desmaiou e eu ajudei a carregá-la. Neste mesmo tempo, eu estava falando, por telefone, com o secretário de saúde e ele [médico] começou a apontar o dedo na minha cara falando para que eu não fosse caçar confusão com ele. Eu liguei para a Polícia Militar para ir até o local porque eu precisava de atendimento médico e aquela mulher precisava de atendimento médico”, disse Joatan.

Ao lado do advogado, Joatan informou que o único testemunho a seu favor é o da mulher que desmaiou. “Ele disse que eu era um reporterzinho cú de cachorro, mas ele se esqueceu que este reporterzinho cú de cachorro é o mesmo que trabalha para pagar os impostos para atender ali. Os funcionários devem defender o médico e as estagiárias devem estarem estagiando com o médico. A única testemunha que eu tenho é a senhora que desmaiou”, concluiu.

O que diz a lei (caso for enquadrado):
Art. 331 - Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela: Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, ou multa. (Por Wesley Silas/Do Atitude Tocantins)

AO VIVO