Menu
Busca domingo, 13 de outubro de 2019
(63) 99292-6165
Araguaína
34ºmax
22ºmin
COLUNA

Vitrine Cultural

Show no Glamour sem "glamour"

27 novembro 2010 - 16h31

Ontem fui ao show da cantora gospel Ludmila Ferber e acredite em minha redundância: “gostaria de ter gostado!”.

O evento foi realizado no Glamour do Lago que particularmente falando, de glamour a festa tinha muito pouco ou quase nada. A organização que me perdoe, mas críticas geralmente nos impulsiona a sempre tentar melhorar. Preciso enfatizar que excelência na produção do evento parece evidentemente ter faltado nesse dia.

Só pra constar
Nas primeiras vezes que eu ouvi falar do evento, "noooossa", achei que seria "chiquetérrimo", com mesas e ambiente bem decorados, espaço perfeitamente climatizado tudo do bom e do melhor gosto. Afinal, as festas no Glamour do Lago tem essa satisfatória fama.Tenho certeza que não somente eu imaginei dessa forma.

Fiquei imaginado que as mulheres mais vaidosas de Araguaína e que gostam desse tipo de evento provavelmente pensaram “Ai... eu não tenho roupa pra ir nesse evento que vai ser chic demais” e concluindo “Nooooossa, esse eu não perco por nada! Vou comprar uma roupa maravilhoooosa só pra ir nele”.

E o Glamour?
Pois é, só não falhei em um detalhe, as mulheres arrazaaaaram! Com seus modelitos fashions, discretos e afins, as “moçoilas” e senhoras chiquérrimas de Araguaína vieram impecáveis, exceto isso, nada de “glamour”, nada de decoração, enfim, os “privilegiados” sentaram-se em cadeiras em frente ao palco e os demais se aglomeraram logo atrás ou em frente aos telões disponíveis no local.

Era pra estar frio... mas estava queeeeeeente!
Que decepção! Mas tudo bem... quer dizer... tudo bem nada!!! um fato específico me deixou bastante insatisfeita: Francamente, num local fechado onde estavam presentes cerca de 4 mil pessoas e a organização do evento disponibilizar apenas de duas... eu disse...duas centrais de ar somente em frente ao palco?!? Parece piada ... e de mau gosto por sinal, ainda mais quando sabemos que existem cerca de 20 dessas centrais de ar espalhadas pela casa de eventos.


O calor estava quase insuportável, vez ou outra eu e muitas outras pessoas que vi por lá, tinha que ir pra fora um pouco, pra respirar um "arzinho fresco", sim porque os organizadores “pareciam” estar economizando energia, fico imaginando quais seriam os motivos : talvez as vendas da bilheteria não renderam exatamente o que eles esperavam, e por aí vai... sei lá...quem sabe...o fato é que a grande maioria das centrais não estavam funcionando, seja por motivos técnicos ou motivos "técnicos", enfim, estou tentando até agora encontrar uma justificativa plausível.

Decepção
No final do evento, presenciei não somente duas ou três vezes as pessoas reclamarem do fato e até ouvi um senhor soltar essa aqui oh: "Que Deus me perdoe se for pecado, mas se eu soubesse que seria assim não teria vindo”.

Tenho certeza de que ele não estava reclamando da apresentação da cantora, essa sim, apresentou seu trabalho com excelência, nem os “Tchuts” no som do evento fizeram ela descer do salto (uma mulher de Deus, realmente), porque haja tolerância.

Comparações
A realização do show de Ludmila Ferber me fez lembrar um outro evento voltado para a evangelização que aconteceu recentemente na cidade: o show “Iluminar” do Padre Fábio de Melo que sinceramente sua organização bateu de 10 x 0, nesse evento da Ludmila Ferber. Espero pelo menos que a produção da Lago, ou melhor... da Lago Produções, em sua próxima realização, possa ter um pouco mais de preocupação em atender satisfatoriamente seu público, a menos que não pretenda continuar nesse ramo, realizando eventos tal como este dentro de sua “casa de shows”.



Ao Vivo